Publicado em 2 comentários

O que é Columbofilia?

O que é Columbofilia?

A Colombofilia é a arte de criar e treinar pombos de corrida, tem como objetivo o esporte, mas também é usada em casos de catástrofes, operações de resgate, trocas de amostras entre hospitais, etc.

Desde os tempos antigos, há notícias da utilidade dos pombos em guerras, egípcios, gregos, romanos, árabes, etc … 

Atualmente, apesar da existência de meios sofisticados, o pombo-correio abrange o trabalho insubstituível como elos eficazes e seguro nas etapas de informação entre diferentes zonas estratégicas nos conflitos militares. Há, portanto, pombos-correio decorados para méritos de guerra.

A prática deste esporte desenvolve permanentemente sentimentos biológicos naturais e sensibiliza para a proteção da natureza.

O apreciador (columbófilo) chega a estabelecer uma compreensão com seus pombos como treinador eseus alunos. Entendimento necessário para enviá-los para competir ou para favorecer o retorno nas melhores condições. 

Favorece a comunicação entre criadores, criando uma amizade sincera e esportiva. Um grau de emoção e expectativas é apreciado, que tem sua expressão máxima no momento da chegada do pombo ao seu objetivo após o esforço realizado.

Assim podemos considerar que o pombo-correio é um verdadeiro atleta. 

No esporte eles são usados ​​da seguinte maneira:

* Os pombos são levados para o ponto de liberação designado. De lá eles são liberados para retornar aos seus pombais.

* Após o retorno, o tempo gasto no voo (corrida) é verificado com relógios especiais.

* Com os tempos dos pombos que regressaram são verificados, daí se finaliza com as classificações individuais ou de equipe como estabelecidas.

Autor: Cláudio Boriola

Publicado em Deixe um comentário

Como ser Columbófilo

1 – A Inscrição numa Coletividade

O primeiro passo a dar por quem se queira iniciar neste desporto é dirigir-se à coletividade mais próxima da sua residência e proceder sua inscrição.

Depois de inscrito na Coletividade, deve proceder à sua inscrição federativa.

Só após estar devidamente inscrito poderá ter pombos-correios ou comprar anilhas oficiais, uma vez que, as normas da Federação Columbófila Brasileira – FCB prescritas ao pombo-correio assim o determina. Contudo, há que ter consciência que a columbofilia é, acima de tudo, um ato de amor. O pombo-correio passa a ser um companheiro, um amigo, que necessita de ser entendido, cuidado e acarinhado diariamente.

A columbofilia é a arte de criar pombos-correios, com fins desportivos. O seu fundamento baseia-se na capacidade, inata, que estas aves possuem em voltar ao seu pombal, quando postos em liberdade, a grandes distâncias do mesmo. De acordo com esta capacidade de orientação, com o treino a que se submete, e o seu amor ao ninho, ao cônjuge, ao seu pombal e ao seu próprio treinador, percorre estas distâncias em maior ou menor tempo.

Assim, antes de se proceder a qualquer investimento material, deverá ponderar, seriamente, se existe uma vontade forte em se iniciar na Columbofilia, se dispõe diariamente de uma fatia de tempo, para cuidar dos seus pombos e, acima de tudo, se o simples facto de ter pombos-correios constitui um fator de realização pessoal.

Supondo que está motivado, a fase seguinte é a construção do pombal.

2 – O Pombal

Os pombais variam de uma região para outra. Podem ser totalmente abertos, semiabertos ou fechados, construídos em madeira ou alvenaria. A sua instalação pode efetuar-se em terraços, jardins, sótãos, varandas. O volume pode variar, desde uma simples gaiola de 1 m³, a um grande pombal com várias divisões. É de especial importância que o pombal responda a estas três exigências:

– Estar bem limpo, exposto ao sol e seco

– Que as suas instalações resultem práticas e simples, livres de parasitas

– Que fique protegido de animais daninhos

Deve ser construído, atendendo:

Ao número de pombos que irá abrigar

A sua situação

A evitar as correntes de ar

A orientação do pombal será tal, que se evite sempre a direção em que os ventos possam fazer penetrar a chuva, no interior dos pombais. Convém procurar a orientação que proporcione uma temperatura agradável e permita aos pombos gozar os primeiros raios de sol. Uma boa orientação é, em geral, a de Sudoeste ou a de Sudeste.

O pombal deverá ter boa luz natural, mas não excessiva, pois as fêmeas procuram, com frequência, as partes escuras para construir os seus ninhos. As paredes devem ser lisas, bem como os tetos.

Capacidade e distribuição

A quantidade ótima de pombos deve rondar os 3 a 5 por m³. As dimensões do pombal dependem, principalmente, do número de aves a albergar, do tipo de concursos em que essas aves participarão, o tipo de técnica ou “jogo” que o futuro columbófilo irá optar. Um pombal onde se queira instalar 50/60 pombos deve estar dividido da seguinte forma:

– Reprodutores

– Fêmeas não acasaladas

– Machos não acasalados

– Borrachos

– Janela de entrada e saída

A janela ideal de entrada, saída e reconhecimento deve ser de tal maneira que:

Tanto a entrada como a saída, estejam formadas por pequenas aberturas ligeiramente inclinadas, de 8 a 10 cm de largura, para que os pombos possam passar no sentido de cima para baixo.

Os pombos possam saltar livremente à mísula exterior, e daí iniciar o voo.

Se possa fechar, consoante a vontade do columbófilo.

Na mesma janela de entrada e saída, exista uma zona de reconhecimento, onde os borrachos se familiarizem com o comportamento dos adultos e com as referências exteriores.

Pavimento

O pavimento do pombal pode ser construído em madeira, placa de cimento, rede metálica. Utiliza-se, também, com grande frequência, grelhas metálicas ou de madeira colocadas, pelo menos, 30 cm acima do pavimento, a fim de evitar o contato direto das patas dos pombos com os excrementos, o que tem importância profilática contra algumas afecções, nomeadamente, parasitoses intestinais.

Casulos

Podem fabricar-se em alvenaria ou em madeira, formando 3 ou 4 pisos. As dimensões, para cada casulo, rondam os 70 cm de comprimento, por 40 cm de fundo e 40 cm de altura. É habitual colocar os casulos na face contrária à entrada do pombal.

Os Ninhos 

Os ninhos são normalmente caçarolas de barro cozido, de uns 20 a 22 cm de diâmetro, de bordos e fundos planos, revestidos de areia para impedir a ruptura dos ovos.

Comedouro

Os comedouros têm de ser simples e fáceis de limpar. Encontram-se no mercado á venda, comedouros constituídos de madeira e/ou de metal. Devem permitir um fácil acesso dos pombos, e estarem colocados de forma a que as aves não possam ingerir sementes caídas no solo ou após contato com os excrementos.

Bebedouro

É essencial que a água esteja sempre limpa e que se mude diariamente. Os bebedouros poderão ser de plástico, barro ou metal. Devem ser colocados num suporte a cerca de 50 cm do solo, evitando assim, a entrada de poeiras e penas. A limpeza dos bebedouros e o tempo de permanência da água dentro deles, tem grande importância na propagação de infestações por tricomonas. O bebedouro ideal é o de circulação contínua; em substituição convém empregar o bebedouro de inversão (pescoço largo)

Reservatórios de Grite

Encontram-se, também, à venda, em formas e dimensões variáveis. Deve, no entanto, haver o cuidado de adquirir reservatórios que impeçam a entrada de umidade e a queda ao solo do Grite. O Grite é uma mistura de vários minerais com origem diversa (conchas, pedra calcária, etc.). Alguns ingredientes do Grite são solúveis em água, outros não. Os solúveis, constituem uma fonte de minerais para o esqueleto e para a formação dos ovos. Os não-solúveis, incrementam a função mecânica do estômago.

Poleiros

Colocam-se paralelos à parede em número suficiente para que todos os pombos se possam instalar. Os poleiros devem ter as arestas arredondadas. A altura máxima deve ser a 1,80 m do chão. Os poleiros devem ser instalados de tal forma que não seja possível, aos pombos que estão nos poleiros mais altos, sujar os pombos situados em lugares inferiores. Em alguns casos, dispõem-se em forma de xadrez.

3 – As Características do Pombo Correio

O atual pombo correio é o fruto dos cruzamentos de algumas raças belgas e inglesas, efetuadas na segunda metade do século XIX. Este tipo de pombo foi continuamente selecionado a fim de apurar duas características principais: o sentido de orientação e um morfotipo atlético.

O pombo-correio caracteriza-se, entre outras, pelas seguintes propriedades:

– Endurance

– Vivacidade

– Rapidez de voo

– Penas abundantes e brilhantes

– Rabo sempre pregueado

– Pescoço, fortemente implantado, muito erguido

– Grande resistência à fadiga

– Tem um peso médio compreendido entre 425 e 525 gramas para os machos e 480 gramas para as fêmeas. É capaz de percorrer num só dia distâncias de 700 a 1. 000 Km., a velocidades médias superiores a 90 kms por hora.

O Revestimento Corporal – As Penas

As penas nos pombos correio cumprem vários fins; formam uma capa termo isoladora, organizam as superfícies impulsoras da asa e dão ao corpo a forma aerodinâmica característica.

Existem diferentes tipos de penas:

As de contorno

O “duvet”

As filopenas

O “duvet” empoado

São penas de contorno, as remiges (as penas maiores das asas), as rectrizes (pena da cauda) e as tectrizes (penas de cobertura).

O “duvet” é a penugem, a qual deve ser abundante e sedosa.

As filopenas transmitem informações sobre o movimento e as vibrações das penas de contorno aos receptores nervosos.

O “duvet” empoado contém um fino pó branco constituído basicamente por queratina. Este pó é o responsável pela resistência destas penas de água.

As penas são implantadas na pele, em campos, segundo, um padrão fixo. A cor das penas é variada, sendo as mais comuns: azul, vermelho, castanho claro, malhado, bronzeado, preto e branco.

As penas do pombo renovam-se cada ano, designando-se esta atividade fisiológica como Muda e deve ser perfeitamente conhecida pelo columbófilo, porque representa um momento crítico na vida desportiva do pombo-correio: qualquer falha ou doença, nesta fase, reduz visivelmente a capacidade de competir nas grandes provas.

As penas mais importantes são as das asas e da cauda.

A Muda

As penas das aves não são mais do que a evolução das escamas dos seus longíquos antepassados: os répteis. A plumagem é principalmente constituída por proteínas. Assim, torna-se aconselhável aumentar durante o período da muda, o teor em proteínas na alimentação. Isto consegue-se mediante a introdução de grãos leguminosos (ervilhas, feverol, ervilhaca).

Em Pombos Adultos

A muda começa pela queda das remiges primárias da asa. Tem lugar normalmente de Abril a Novembro.

A muda depende do estado de saúde, da natureza do pombo, do meio ambiente em que vive, do regime a que se submete e da sua idade.

As dez remiges da asa são renovadas todos os anos, começando pela mais pequena, situada na parte média da asa. As seis primeiras caem a intervalos de três semanas, no momento em que a seguinte chega a ter a metade da sua longitude. A partir da queda da sexta, a muda estende-se às penas pequenas do corpo, começando pelas plumilhas que se encontram no nascimento do bico.

As remiges secundárias têm um regime especial. Cada ano o pombo perde geralmente uma por asa. A nova pena sai um pouco mais larga, um pouco mais curta (1 ou 2 milímetros) e a sua extremidade é um pouco mais arredondada. As doze caudais renovam-se igualmente cada ano, caem aos pares de tal maneira que o plano inclinado que formam durante o voo mantém-se constantemente o mais perfeito possível.

Em Borrachos (Filhotes)

A muda será total ou parcial dependendo da época do seu nascimento.

Os que abandonam os seus ninhos no mês de março, efetuam uma muda total, a partir do mês seguinte. Pelo contrário os tardios, nascidos em agosto ou em setembro, efetuam uma muda parcial, uma vez que, o frio de Inverno corta o processo fisiológico normal. A muda torna a efetuar-se na primavera seguinte.

4 – A Reprodução

Os acasalamentos representam uma das virtudes mais destacadas do nosso desporto. Segundo a forma de os realizar vai depender a qualidade da futura colônia.

Se não houver cuidado na seleção dos pombos a acasalar a colônia degenerará, tornando-se, cada vez mais, ineficiente em termos competitivos. Por tal motivo, devem deixar-se para a reprodução somente pombos com reconhecida categoria ou os provenientes de pombais com um pedigree comprovado. Independentemente do seu fim (melhorar a colônia), o conhecimento dos acasalamentos, reprodução e cria são importantes porque o desporto columbófilo baseia muito da sua estratégia na opção do tipo de jogo, nomeadamente metendo os pombos em celibato (machos e fêmeas separados) com ovos, com borrachos ou em viuvez.

A distinção de machos e fêmeas faz-se por caracteres externos, normalmente o macho é de maior tamanho, possui um arrolhar característico, que se quando persegue outros pombos, estendendo as penas do rabo pelo chão. O macho costuma ter a cabeça, o bico, assim como, as carúnculas de maior tamanho que a fêmea.

O Acasalamento

Normalmente, juntam-se os pombos quando o período natural vai aumentando, isto é, a partir de janeiro até junho. Embora dependendo da latitude e da época de muda, pode estender-se até aos meses de agosto/setembro.

A escolha dos casais é primordial na Columbofilia, nomeadamente, no apuramento de linhas mais aptas para os concursos de velocidade e outras adequadas a grandes distâncias. Selecionar-se-ão para os acasalamentos machos e fêmeas que possuem constituição harmônica, uma força comprovada, um olho apropriado, uma rapidez no voo verificada nos diferentes concursos, etc., única forma de fixar nos seus descendentes as melhores características. Ainda assim, isso não quer dizer que se obtenham excelentes borrachos. É o columbófilo quem deve com a sua persistência ir eliminando as características defeituosas e introduzir as melhores à base de cruzamentos com pombos procedentes de outros pombais.

Quando um casal der bons borrachos, deverá conservar-se unicamente para a reprodução não o expondo aos riscos da competição. Desta forma, alternando diferentes machos e fêmeas e comprovando sempre os resultados dos seus produtos no “cesto”, é como ao final de algumas gerações se consegue colônias de absoluta confiança.

Para fazer o acasalamento coloca-se o macho e a fêmea numa gaiola preparada para o efeito, o­nde efetuam a postura e a cria dos borrachos. Quando se quer acasalar um macho excepcional com várias fêmeas – o que é difícil, devido ao pombo ser monogâmico – existe um sistema chamado “a caixa do touro” através do qual se pode acasalar o referido “crack” com quatro fêmeas em simultâneo. Esta já é, no entanto, matéria para columbófilos experientes.

As Fases da Cria

As diferentes fases fisiológicas da cria resumem-se da seguinte maneira:

– A postura efetua-se uns oito ou dez dias depois do acasalamento;

– A fêmea põe os ovos: o primeiro pela tarde e o segundo dois dias depois, ao meio dia;

– A incubação começa depois da postura do segundo ovo e dura 17 dias;

– O  macho incuba desde as dez até às dezesseis horas e a fêmea o resto do tempo;

– Entre duas posturas sucessivas decorrem uns trinta e cinco dias.

Quando as crias da primeira postura cumprirem os dez dias, deve colocar-se outro ninho para evitar:

– Que a fêmea ponha no mesmo ninho e que os ovos possam partir-se;

– Que a incubação seja irregular, por impossibilidade física de estar crias e pais juntos no mesmo ninho;

– Os borrachos separam-se dos pais aos 25 dias. A partir daqui já podem comer sós.

5 – A aprendizagem do Pombo Correio

A aprendizagem do pombo-correio começa a partir do seu nascimento, e tem como principais objetivos:

A adução ao pombal;

Proporcionar-lhe o vigor e a preparação necessária, para que, quando solto, regresse ao seu pombal com segurança e na maior rapidez;

A capacidade que o pombo-correio tem em regressar ao pombal manifesta-se tanto nos machos como nas fêmeas. Por meio de uma aprendizagem e um treino cuidadoso, estes animais podem percorrer grandes distâncias em voo ininterrupto.

A adaptação

O pombo-correio acostuma-se com maior ou menor rapidez, consoante a idade de adução ao pombal:

Borrachos nascidos no pombal

Em princípio, os borrachos só abandonam o seu ninho quando são capazes de se alimentarem por si sós. Para aduzir os borrachos é suficiente deixá-los completamente tranquilos. Quando têm força para voar fazem-no no seu pombal, aproveitando o sputnik para conhecerem as imediações. Quando finalmente empreendem o voo, descrevem círculos sem se afastarem do pombal; pouco a pouco, vão-se unindo ao bando para voar e regressar com ele.

Borrachos procedentes de outro pombal

Os borrachos adaptam-se ao novo pombal num período de 10-15 dias, sempre que tenham menos de um mês. A princípio procuram afincadamente uma saída. Por isso, devem manter-se encerrados e serem objeto de todas as atenções no que se refere à higiene, bem estar e alimentação, até que se acostumem ao seu novo habitat. As primeiras saídas efetuar-se-ão pela tarde.

Pombos adultos

Os que não tenham voado em liberdade demoram a adaptar-se entre um mês e um mês e meio. Se já voaram, mas sem viajar, aconselha-se a acasalá-los antes de soltá-los (dois a três meses).

A aprendizagem

A partir da adaptação, a educação do nosso atleta faz-se de forma gradual. Quando os borrachos têm uns 25 dias já podem alimentar-se por si sós. Então, é preciso separá-los dos seus pais e alojá-los num sector especial só para eles. Esta separação é conhecida como o “desmame”. Efetua-se, colocando os borrachos num pombal acolhedor, com uma camada de palha no chão e o­nde a ração e água estejam colocados de forma acessível. No entanto, o columbófilo deverá seguir atentamente a evolução das aves, verificando se todos acedem ao bebedouro e ao comedouro. Os borrachos que não conseguiram beber, normalmente, têm tendência para se isolar num dos cantos do pombal, piscando ininterruptamente os olhos. Aí, deverão pegá-los e mergulhar lhes a cabeça no bebedouro.

Quando houver um grupo de borrachos, dos quais os mais jovens tenham cumprido os três meses de idade e levem mais de um mês voando livremente pelo exterior do pombal, podemos começar com os voos preliminares de reconhecimento dos arredores. O primeiro voo deve fazer-se num dia claro e sereno, pouco antes da primeira distribuição da comida aos pombos, desde um ponto livre, situado, aproximadamente, a um quilometro do pombal. Em voos sucessivos vamos aumentando, gradualmente, esta distância até alcançar os 8 a 10 quilômetros. Terminados estes voos, temos a certeza de que os borrachos conhecem perfeitamente os arredores. Quando for possível, os borrachos devem ser soltos, um a um, para que não regressem em bando, mas sim individualmente. Depois aumentamos, progressivamente, as distâncias a 40, 75, 100, 150 Kms. Estes voos fazem-se com todos os borrachos ao mesmo tempo. Aqui podemos dar por terminada a aprendizagem durante o primeiro ano.

Algumas Associações promovem, hoje em dia, concursos de borrachos. No segundo ano, os “pombos de ano” podem voar até 500 quilômetros, ou mais, começando com treinos progressivos, para que, o pombo vá ganhando forma, antes de alcançar a distância desejada. Para os grandes concursos (de fundo), devem escolher, preferencialmente, pombos adultos de mais de 3 anos.

Precauções

A direção e intensidade do vento, o nevoeiro, a neve e a chuva influem o regresso do pombo impedindo-o, algumas vezes, de chegar ao seu destino. Por isso, é de muita importância, na época da aprendizagem e treino, não soltar os pombos quando houver vento forte em direção contrária, ou quando as condições meteorológicas sejam francamente desfavoráveis, não obstante, em voos curtos, os pombos com alguma experiência poderem viajar com tempo chuvoso e ventos moderados, com o objetivo de tornar as aves aptas para voos em quaisquer circunstâncias meteorológicas.

A hora mais conveniente para soltar os pombos é um quarto de hora depois do sol nascer.

Programa de Voos (Treinos)

Todos os pombos dum pombal devem, na medida do possível, realizar voos diários.

Existem treinos livres e obrigatórios. Os primeiros consistem na libertação das aves sem quaisquer restrições. Os segundos, já implicam o cumprimento de voo com uma duração pré-definida pelo próprio columbófilo.

Vários columbófilos usam uma bandeira para evitar que os pombos pois em, nomeadamente, no pátio ou nos telhados. É muito importante desencorajar os pombos do mau costume de pousar nos telhados, uma vez que, futuramente este vício terá repercussões negativas na pronta e rápida entrada pós-concurso, com a consequente perda de tempo.

Podemos, ainda, incrementar a velocidade de entrada recorrendo a estímulos sonoros, como apitos ou assobios especiais ou agitando os grãos de comida num recipiente metálico. Existem ainda columbófilos que usam um pombo como chamariz. Se os pombos estão bem educados, ao serem chamados, entram sem demorar no seu pombal, sem sujar à sua volta ou incomodar os vizinhos.

O voo do meio-dia pode ser substituído por um treino individual a curta distância. Devemos efetuar, no mínimo um treino diário à volta do pombal, devendo ser seguido com a máxima atenção por parte do columbófilo, pois é um dos fatores de maior importância para o conhecimento do pombo-correio. Aproveita-se a realização destes voos para a limpeza do pombal, para mudar a água dos bebedouros, preparar a ração e tudo o que é necessário para a distribuição da comida.

Transporte de Pombos

Os pombos que vão ser soltos para treino ou para concurso, introduzem-se em cestos de viagem. Antes de introduzir os pombos nos cestos, deve efetuar-se um reconhecimento minucioso, a todos os pombos, comprovando o estado de forma, o estado das penas, assim como, o estado das mucosas.

Uma vez selecionados os pombos, no pombal, levam-se ao clube columbófilo o­nde se encontra filiado e, dali, são expedidos em cestos para os locais de solta. O columbófilo deve velar para que se cumpram as condições mínimas de encestamento e de cuidado com os seus pombos. Algumas destas condições são:

Os locais de encestamento devem ser ventilados, unicamente com a presença do pessoal responsável do controle dos pombos, sendo terminantemente proibido FUMAR;

Os cestos de viagem devem estar limpos e livres de parasitas;

Os cestos devem ser manipulados com cuidado durante as operações de carga e descarga dos veículos para evitar golpes e quedas que prejudicariam os pombos, retirando-lhes capacidade de voo.

No final da viagem, e até ao momento de soltar os pombos, os cestos têm de ser protegidos das inclemências do tempo, em lugar coberto, seco, moderadamente ventilado, para que, os pombos possam descansar, dando-lhes a água e comida necessária;

Os machos e as fêmeas são encestados separadamente.

6 – Alguns Conselhos

Anilhamento dos Borrachos

O anilhamento dos borrachos com anilhas da Federação Portuguesa de Columbofilia, efetua-se quando estes fizerem 6 a 8 dias. Nesse momento, é fácil levar a cabo esta operação, sem que haja perigo de ferir os dedos da ave, nem a possibilidade de a anilha cair. A anilha irá identificar o pombo durante toda a sua vida desportiva. A anilha oficial coloca-se, em regra, na pata esquerda do borracho.

O borracho mantém-se em posição normal, com a pata esquerda esticada e introduz-se, na anilha, os três dedos anteriores, cuidando que as inscrições da anilha não fiquem invertidas. Ao mesmo tempo, o dedo posterior mantém-se para trás apoiado por cima do tarso.

Forma de Apanhar os Pombos

A melhor forma de apanhar os pombos, é proceder à aproximação, fazendo os seus ruídos característicos, para que, permaneçam o mais tranquilo possível, apanhando-os devagar com ambas as mãos. Os pombos seguram-se com a mão esquerda, de modo a que fiquem as patas entre o dedo médio e o indicador e as asas sobre a cauda, presas pelo dedo polegar. Se o pombo se tentar defender, podemos imobilizá-lo, segurando-o, ligeiramente, contra o corpo do columbófilo, ou com a mão direita pela sua parte anterior.

Método de Preparação dos Pombos-correios para Concursos

No conhecimento profundo dos pombos, basear-se-á, em boa medida, a arte de preparar os pombos-correios para que regressem o mais depressa possível ao seu pombal.

Alguns tipos de jogos:

Método Natural:

Consiste em viajar tanto os machos como as fêmeas, aproveitando os diferentes estados fisiológicos da cria, isto é, acasalamento, incubação e criação dos borrachos. O instinto de voltar ao ninho proporciona um rápido regresso.

Método da Viuvez:

É um dos métodos mais empregados. Consiste em acasalar o macho e a fêmea, deixá-los criar um borracho e quando a fêmea puser, pela segunda vez, retirar os ovos e separá-la do macho. Posteriormente, quando se encestar para efetuar uma viagem, deixa-se com a fêmea por uns minutos. Este processo cria, no macho, um mecanismo de recordação do ninho e da parceira, fazendo com que percorra as distâncias no menor tempo possível. À sua chegada, encontrará novamente a fêmea, com quem estará por um tempo variável, segundo as características do macho (de minutos a horas). Este sistema de voo está em contínua evolução, e existem diversas variações: viuvez total, com fêmeas, etc.

7 – A Alimentação

O pombo-correio é uma ave que se alimenta, principalmente, de grãos. A dieta, como a de qualquer atleta, deve ser perfeitamente equilibrada com proteínas, hidratos de carbono e gordura, para proporcionar todos os requisitos necessários, nos diferentes períodos fisiológicos e desportivos.

Estes períodos podem-se dividir em:

Concursos: de Janeiro a Julho

Reprodução: de Janeiro a Julho

Muda: de Junho a Novembro

Defeso: de Novembro a Janeiro

Os grãos dividem-se em três classes:

Cereais: trigo, cevada, aveia, milho, centeio, sorgo e milho alvo

Leguminosas: ervilhas, lentilhas, feverol, ervilhaca e favas pequenas

Oleaginosas: linhaça, colza, nabiça, girassol e cártamo

No que respeita ao tipo de ração a usar em cada um dos períodos, aconselha-se que se siga a sugestão dada pelas casas da especialidade, as quais dispõem de excelentes tipos de rações. Contudo, as necessidades mínimas dos pombos-correios são as seguintes:

Discriminação Proteína Bruta % Gordura Bruta % Energia Merabilizada

em KCal/Kg Alimento

Período de Criação 15 3 2950

Período de Concursos 13 3,5 3100

Período de Muda 12 3 2950

Período de Defeso 12 2,5 2800

Independentemente da ração, os pombos-correios devem ter sempre à disposição uma mistura de GRIT (pequenas pedrinhas que atuam à maneira de dentes, triturando o alimento a nível da moela). Regularmente, deve-se, também, administrar verduras (alface, couve, etc.).

A alimentação poderá fazer-se segundo vários critérios; para uns é aconselhável alimentar os pombos a uma hora certa, uma vez ao dia; para outros, será distribuir a comida, uma vez pela manhã e outra pela tarde. Em qualquer dos casos, 20 minutos depois de distribuir a comida, retiram-se os comedouros. As quantidades aconselhadas oscilam entre as 30 e as 40 gramas/pombo por dia (uma colher de sopa rasa por pombo).

8 – Perigos que os Pombos Encontram no Regresso a Casa

São muitos os perigos encontrados, mas, entre eles, destacam-se:

As condições meteorológicas e orográficas adversas

As aves de rapina, contra as quais não existe nenhum meio eficaz

Os caçadores que, por ignorância ou intencionalidade, confundem os pombos-correios com outros tipos de pombos não protegidos por lei.

9 – Algumas Regras Fundamentais de Higiene

Nos pombos-correios, como em qualquer outro animal, a prevenção das doenças é sempre mais desejável que a cura das mesmas. Por esta razão, as normas de higiene devem ser levadas de forma metódica. Entre elas destacam-se:

Limpeza diária de comedouros e bebedouros;

Limpeza diária do pombal (exceto se utilizam grades no chão);

Alimentação à mesma hora e retirada do resto do alimento 20 minutos depois da sua distribuição;

Dar alimentos equilibrados e em boas condições;

Desinfetar o pombal contra parasitas externos, uma vez, de 15 em 15 dias;

Desinfetar os parasitas externos dos pombos, uma vez por mês,

Fazer tratamento preventivo de coccidiosis e trocomoniases de 3 em 3 meses,

Dar tratamento contra vermes redondos (lombrigas) uma vez de seis em seis meses;

Vacinar preventivamente contra a diftero-varíola e a doença Newcastle;

Assim que apareçam os primeiros sintomas de doença entrar em contato com técnicos especializados.

10 – Conclusão

Procurou-se dar uma visão, simples e genérica, a quem se queira iniciar na Columbofilia, de quais são os grandes passos a dar e quais os principais comportamentos a ter. Tudo o que se escreveu não deixa de ser um conjunto despretensioso de pequenos alertas, conselhos ou chamadas de atenção. As pistas aqui dadas, devem ser aprofundadas através de leituras técnicas e trocas de impressões com columbófilos experientes.

A FEDERAÇÃO COLUMBÓFILA BRASILEIRA – FCB,  está aberta a prestar todos os esclarecimentos àqueles que pretenderem iniciar a prática desta modalidade.

Publicado em Deixe um comentário

Pombo-correio tem treinamento de atleta

Aves de linhagem específica se exercitam todas as manhãs e contam com alimentação completa e balanceada.

Em Ribeirão Preto, o eletricitário aposentado José Oliveira Jordão se dedica a criar e treinar pombos-correios há mais de 50 anos. As aves, de uma linhagem específica, foram utilizadas em tempos de guerra. Hoje em dia, são usadas em competições e treinadas como verdadeiras atletas.

Na chácara de Jordão há cerca de 300 pombos. Os filhotes começam o treinamento aos 3, 4 meses. Além de exercícios matinais, as aves contam com alimentação balanceada, uma mistura de ração, milho, sorgo, soja, alpiste, painço, lentilha, ervilha e amendoim.

Um pombo-correio tem autonomia para voar entre 800 e 900 km/dia a uma altura que oscila entre 15 e 20 metros.

A linhagem dos pombos-correios é resultado de vários cruzamentos, explica Jordão. Boa resistência, boa plumagem, boa orientação são levadas em consideração na formação da linhagem.

Confira aqui o vídeo da Reportagem da TV GLOBO Clique aqui

Publicado em Deixe um comentário

A muda

Para a vitalidade e fertilidade, uma boa muda é de vital importância para um pombo de corrida se você quiser ter um bom desempenho durante a temporada inteira.
 
As penas, que deve ser renovado a cada ano incluem aqueles na cabeça e no pescoço, as penas de cobertura, as barras de asa, penas polegar, as dez primárias em cada asa, os 12 secundários e as penas que cobrem o bumbum, e da cauda, ​​cuja função já foi identificado. As penas pequenas no corpo do pombo, muda quase todo o ano, o que depende da saúde e condição da ave e do jeito que tem sido criado. Este processo de muda pode ser considerada como adequadamente concluído após dois anos.
 
Uma boa muda é reconhecido como segue:
 
De cabeça e pescoço
As penas na cabeça ao redor das orelhas e no pescoço não deve ter um cabelo como a aparência ao ser lavado. Em vez disso, deve olhar fofo. Uma aparência de cabelo como em torno da cabeça e as orelhas indica uma fraqueza da cabeça do pombo, que provavelmente é causado por um resfriado.
 
A ala
As pequenas penas de cobertura
Penas nova cobertura nas asas de um pombo não devem ter nós pequenos ou um estreitamento no eixo oco. Isto também se aplica para as barras de asa e as primárias, que devem também estar no comprimento total.
 
As primárias
As primárias não deve ter nenhum pitadas ou nós as penas ou os vazado. Eles não devem ser dentada. Isto significa que, se ventilar os primeiros cinco centímetros da asa deverá ver as pontas das penas, no interior das dez primárias, formar uma linha, tal como a lâmina de uma faca, sem dentadura. Cada primário deve ser em todo o seu comprimento e de acordo com os números da origem do pombo. Se o pombo nasceu em número de cinco, seis ou sete anos, ela deve pelo menos renovar o primário com o mesmo número ou um número maior. Só então a ave tem uma boa muda. Se uma asa não perde as suas primárias cinco, seis, sete, oito e nove no Outono de tal modo que ele tenha o acordo com os números do seu nascimento de novo, ou se a distância entre as extremidades das primárias tornaram-se menores , o pombo será passado o seu melhor no próximo ano. Isso acontece especialmente para pombos-correio que não foram atendidos durante a temporada de corridas, ou se o amador não conseguiu manter o pombo saudável.
 
Primeira observação : Às vezes ocorre que um pombo moults nove primárias saudáveis ​​em comprimento total e que a última pena (n. º 1 do exterior) é de dois mms muito curto ou está no mesmo comprimento que o penúltimo (n º 2) . Se este for o caso, você deve verificar se a última pena, mas uma (n º 2) ainda está em seu comprimento total: 2 a 1,5 centímetros em relação ao final da cauda. segunda observação : O oposto acontece com mais freqüência. Nesse caso, a parte externa da pena (no. 1) cresceu mais do que o penúltimo (n. 2) ou é pelo menos tão longo após a muda. No entanto, as primárias poderia ter moulted um ou dois centímetros demasiado curtas. Este é frequentemente o caso quando vive um pombo em um ambiente pobre, como resultado de que não pode mais ser usado para corridas ou de reprodução.
 
E se as primárias não renovar no ninho segundo?
Se um pombo não renovar suas primárias no ninho segundo você deve substituir os ovos com ovos de maconha. No caso de você não percebeu ou se você não estava prestando atenção a ele no período de reprodução, você deve tirar os jovens quando eles estão oito a dez dias de idade. A ave que não tenha moulted deve, então, ser colocado separadamente e sua saúde devem ser monitorizados. Ele pode ajudar a comparar a ave para descobrir 1A e para ler a descrição que o acompanha. Se você notar qualquer muco na extremidade superior do esófago ou na traquéia você deve pressionar o menor bico para ver se algum muco é vindo de trás do grande e as amígdalas pequenas: isso geralmente causa uma muda ruim. Muitos pombos-correio que estão infectados com uma doença leve sofre de uma infecção ao alimentar seu jovem primeiro. No caso de a cor do bico é branco rosado.
 
Não retire das primárias
Se um pombo de corrida não renovar suas penas você nunca deve forçá-lo a moult puxando suas penas. Se não houver essa muda geralmente é o resultado de anemia ou de uma doença que afeta o fluxo de sangue. Como resultado, tem força, não o suficiente para renovar suas penas. 
Se você seguir este conselho que você vai conseguir bons resultados. Observação : Se um pombo quebra uma ou mais de suas penas da asa em um acidente você pode retirar essas penas, depois de ter tomado cuidado do pombo, como descrito acima.Esta é a única maneira de alcançar um resultado. NB É aconselhável retirar essas penas, nos meses de março ou abril só
 
Os secundários
A asa traseira é composto por 12 penas que, em parte, renovam a cada ano. Os secundários devem ter renovado se inteiramente dentro de três anos de tempo se o pássaro é completamente saudável. Pombos em boa saúde em geral moult seus secundários na idade de dois.
 
Para um pombo jovem e saudável nascidos antes de Junho a muda deve proceder como segue:
1 ano: oito penas, cinco a partir do corpo (12, 11, 10, 9 e 8) e de três a partir do grande asa (1, 2 e 3, ).
2o ano: uma pluma ao longo de cada lado (7 e 4)
3 º ano: uma ao longo de cada lado (6 e 5)
 
Isto é muito importante. Durante um período de três anos, estas oito penas deve ser em pleno funcionamento. Cinco deles, as penas ao longo de cada lado do corpo, deve servir de protecção do corpo, a parte de trás e da garupa do pombo. Se um jovem renova oito secundárias, cinco ao longo do corpo e três no lado das penas da asa, você pode considerar este um pássaro em um bom estado de saúde e com uma boa muda. A asa traseira está no seu comprimento total se a asa é fechada na extremidade por uma distância de 1 a 1,5 cm, atrás da barra de segunda asa. Ele deve ter a mesma cor que o resto do corpo, não importa qual a cor da ave tem.
 
A asa de um pássaro velho
O processo de muda começa no décimo pena, que é a mais próxima da asa cauda (os secundários, veja a imagem). Cerca de quatro semanas depois, a pena nono devem cair. Quando o novo pena nona atingiu metade do seu comprimento a pena oitavo cairá seguido por outros sete na mesma ordem. A renovação de penas está intimamente relacionada com a saúde do pássaro e da forma como tem sido tratado. Isto tem uma grande influência sobre o processo de muda de uma ave, bem como sobre o seu desempenho global.
 
As penas de cobertura das asas e as barras de asa só vai começar a muda quando não primário. 6 caiu ou foi quase totalmente renovada. Isso geralmente depende se a ave tinha que alimentar uma criança por muito tempo ou não. Se tivesse que alimentar uma criança durante muito tempo a muda é normalmente adiada até que a criança tem sido levantada.Este é desvantajoso, por isso é aconselhável não criar jovens demais e desmamar mais cedo ou mais tarde.
 
Durante este período, você também deve alimentar seus pássaros um chá de purificação do sangue. A muda das penas secundárias ou costas asa geralmente ocorre quando uma metade do quarto principal foi renovado. Normalmente isto coincide com a muda da cauda, ​​mas o número de penas que moults é geralmente diferente.
 
Por exemplo : uma ave saudável, que nasceu no início do ano geralmente moult oito secundárias em seu primeiro ano, cinco ao longo do corpo e três ao longo das primárias da asa. No ano seguinte, a ave só renova dois secundários, dois em ambos os lados. Se um pássaro moults apenas sete secundários em seu primeiro ano, cinco ao longo do corpo e dois ao longo da asa, deve renovar duas penas no próximo ano (uma ao longo do corpo e um ao longo da asa) se ele estiver em uma condição saudável.
 
Durante a renovação o pombo vai começar a moult, tanto quanto possível.
 
Como sobre os jovens? jovens nascidos no início do ano, que foram atendidos e que saem do ninho em uma condição saudável moult na cabeça e no pescoço primeiro. Depois que o processo de muda é semelhante ao das aves de idade. O muda inteiro ocorre no outono. Naquela época, o pássaro está em pleno desenvolvimento. Jovens saudáveis ​​nascidos depois de julho ou agosto que não foram criando ainda vai moult uma grande parte de suas penas, mas a sua asa e penas da cauda não são renovados ainda. Isso não é prejudicial para a saúde do pássaro no próximo ano e você pode treiná-los depois que os pássaros antigos foram correu.
 
Para estimular a muda você pode retirar uma pena de cauda em cada lado, em abril do próximo ano, onde a muda tinha parado no inverno. Se necessário, também pode retirar a pena próximo de cada lado, quando os anteriores estão na metade de seu comprimento. Mas você nunca deve puxar uma de suas penas da asa. Se você considerar isso, você deve primeiro dar o pássaro um chá de purificação de sangue por cerca de dois dias e, em seguida, adicionar vitaminas à água potável.
 
A cauda
Em geral, uma cauda tem 12 penas, seis no lado esquerdo e seis no lado direito. Um conjunto de seis penas deve ser posicionado de tal forma que, quando você olha para ele de cima, só uma pena deve ser totalmente visível. A muda da cauda começa geralmente após a quarta principal é a metade de seu comprimento.
 
Uma muda completa ocorre regularmente e começa com a pena quinto do lado esquerdo e do lado direito, a partir do lado de fora. Se esta pluma cresceu até metade do seu comprimento duas penas no meio da cauda cairá.
 
Na metade de seu comprimento é tempo de a pena quarto (esquerdo e direito) a cair, depois o terceiro, depois as penas de fora e, finalmente, as penas por último, mas um (esquerda e direita).
 
Um pássaro teve uma boa muda se as penas da cauda não tem quaisquer pequenos buracos. Os eixos ocos não deve ter quaisquer nós e não deve ser dividida. Quando a muda das penas da cauda termina a cor geral do corpo deve ser visível, pelo menos, um centímetro atrás do bar asa escura. Isto pode ser claramente visto em pombos xadrez ou azul.
 
Um pássaro precisa de um bom rabo de navegar, mas isso não significa que a cauda tem que ser longo. Uma cauda que é muito longa não é benéfica para a ave em voo: em 99% dos casos, a cauda é muito longo porque as asas não estão no seu comprimento total, após a muda.Isto ocorre quando o sangue não é boa ou quando o pombo teve uma infecção. Isto novamente mostra a importância de uma boa saúde.
 
Se você perceber que a cauda de um de seus pombos é muito longo, eu faria o seguinte: verifique se o pombo não está infectado com uma doença mais e não hesite em encurtar a cauda, ​​no máximo, 1,5 ou 2 centímetros após o final de seu asa (ponta o passado das penas da asa). Você vai notar que a ave vai voar muito melhor.
 
Dividir penas
penas rachadas são geralmente o resultado de anemia. Uma pena precisa de muito sangue rico para crescer toda a sua extensão. É por isso que um pombo anêmico sempre terá penas de divisão. O sangue é essencial para uma pena forte e elástico.
 
É fácil identificar um pombo anêmica: suas penas parecem estar seco e fino e é preciso algum esforço para ter o pássaro crescer penas saudáveis. Se um de seus pombos valiosos dividiu penas que você não deve permitir que ele voe ou raça.
 
É importante para purificar o sangue, alimentando-o de um chá de purificação, durante duas semanas, bem como vitaminas dois dias por semana e continuar este procedimento até que todas as penas de divisão foram substituídos por aqueles saudáveis.
É importante saber que doença causou as penas de divisão, a fim de ser capaz de evitar esta situação no futuro. Penas de divisão também pode ser causada por uma corrida difícil, ou se perder por alguns dias como este faz um pássaro cansado e leva à fraqueza. Em tais casos, é possível usar o mesmo método descrito acima para substituir as penas de divisão por novas.
 
Não vai demorar muito para renovar as penas: as penas são, provavelmente, já velho e será renovado na mesma temporada.
 
Observações adicionais
Muitas vezes notar que as aves saudáveis ​​não moulted até o final do ano, que geralmente é causada por ignorância ou negligência do apreciador. Temos testemunhado isso em lofts incontáveis.
 
Uma razão pode ser que os pombos tem que fazer corridas muito no final da temporada, como resultado do que eles têm para alimentar seus jovens também no final da temporada também. Para se certificar de que os pombos acabaria por cair criadores de suas penas usadas para tratá-los com um banho semanal e alimentá-los com chá e vitaminas até janeiro.
 
Em oito dos 10 casos o pombo eventualmente muda, mesmo em fevereiro, mas sob nenhuma circunstância você deve deixar que esses jovens aves alimentação ou fazer corridas no início da temporada.
 
Publicado em Deixe um comentário

Estrutura das Asas para Voo

À medida que a ave desliza para a frente, as funções de asa como a de uma asa de avião e de elevação é criada pelo movimento para a frente da ave através do ar. Mas, na asa da ave, a forma da asa e da forma das penas de voo muda com o movimento do batimento da asa. Isso é o que prevê o elevador e a propulsão para a frente em voo.
Funcionamento das penas primárias de vôo durante o vôo

Como a asa bate, as voltas de palhetas com o bordo de fuga indo para cima, forçando o ar para trás para a frente produzir empuxo. Agitar as asas mais rapidamente faz com que as penas primárias para torcer mais, aumentando assim a pressão.

Com o up-acidente vascular cerebral, a asa puxa para mais perto do corpo, as penas primárias separadas, permitindo que o ar passe através deles. Isto é o que deixa a asa de empurrar a ave para baixo. À medida que a asa sobe para a posição com o movimento ascendente final, uma raspagem para trás pequeno traz a superfície superior das penas primárias para baixo contra o ar, dando a ave um impulso para a frente extra.
Avaliar a estrutura da asa de propulsão
À medida que o fancier avalia a asa, o tamanho da asa deve ser proporcional ao tamanho do corpo do animal e de um tamanho que permita o movimento confortável. Se não, o vôo do pássaro será ineficiente, causando fadiga precoce.
Para melhor entender isso, acho que de remadores humanos sendo dadas remos que são muito grandes.Com os remos grandes remadores pode cobrir uma boa distância, mas a fadiga em breve definir pol E, com remos que são muito pequenas, os remadores pode mover-se rapidamente, mas seu progresso será lento.
Assim, considerando isso, as penas primárias de vôo devem ser examinados para a forma de comprimento, e condição. A duração das penas, como os remos para os remadores, deve corresponder ao tamanho da ave.
Asa e estrutura de penas em aves Distância
Geralmente, as aves têm penas distância mais curta primárias e secundárias penas de voo. Com essas asas mais longas, os pássaros distância levam mais tempo para se mover para cima e para baixo, mas cada golpe da asa irá impulsionar o pássaro uma distância maior. Diante disso, um pássaro distância vai viajar mais por batimento de asa com menos fadiga.
Ao olhar para as penas primárias do pássaro à distância, as aves podem ter sucesso o vôo oitavo, nono e décimo todas do mesmo tamanho e alguns podem ter o vôo décimo a mais longa. Além disso, as aves de distância podem ter mais espaço entre os últimos quatro penas primárias. Este recurso permite que o ar para deslizar facilmente através durante o movimento ascendente, diminuindo o esforço necessário para levantar a asa para cima.
Asa e estrutura de penas em aves Sprint
Asas curtas pode ser visto em aves sprint e esta é desejada como as asas curtas pode ser movida para cima e para baixo, de forma rápida, dando-voo rápido. No entanto, com a rapidez do movimento da asa, esforço adicional é necessário. Então o pássaro Sprint tem velocidade, mas a resistência mais curtos.
Sprint pássaros também podem ter penas maiores finais de vôo com pás arredondadas e mais cheio em suas pontas. Isto prende o ar de propulsão no curso descendente e cria a frente, resultando numa mais rápida do voo. No entanto, a resistência do ar aumentada torna mais difícil empurrar a asa para baixo e puxar para cima, contribuindo para um rápido início de fadiga.
Resumo
Forte e flexível penas primárias de vôo são necessários, tanto no sprint e distância aves para atender as demandas de cada bater de asas. No geral, a genética eo nível de cuidados a ave recebe determinar a qualidade das penas.
Para recapitular, na avaliação da estrutura da asa, o criador deve procurar:
  • Uma asa proporcional ao corpo da ave
  • Uma curvatura definida ou a curvatura da asa
  • Bom apoio no ombro
  • Qualidade pena boa
  • Em corredores de velocidade, as asas mais curtas com palhetas mais amplas
  • Nas aves, penas distância de voo primários que são mais longos, mas mais fino nas extremidades, especialmente nos últimos quatro penas de voo
Publicado em Deixe um comentário

Controle Columbófilo

No pombo, como qualquer outra atividade humana, exige um mínimo de organização e controle para analisar, modificar, estudar e evoluir, e então decidir o caminho a seguir, sempre com um objetivo: buscar a melhoria. No desporto columbófilo, envolvendo muitas disciplinas, cujos dados, que saco de jogador, o pombo tem de analisar quase que diariamente e levar em conta que a colheita da temporada final ganha a não ser de Pirro. Normalmente, em nossos primeiros anos de columbófilo, escapar-nos por nossa inexperiência muitos detalhes que devem ter marcado e então precisamos ver a evolução da colônia ao longo do tempo. Em seguida, os retrocessos e erros, somos ensinados a aprender com os erros e se organizam para aprimorar o controle total do pombo. Cada treinador tem seu próprio loft e controlar seu sistema. Mesmo, há, graças a uma memória extraordinária necessário poucas notas para manter sob controle o pombo, mas não devemos dar uma tarefa tão grande para a memória, quando você pode ter tudo arquivado.

Há uma gama muito ampla de métodos de controle, mas usou o usado, todos buscam o mesmo objetivo: otimizar resultados desportivos análise prévia exaustiva desses dados que nós coletamos. Hoje existem programas de computador, onde podemos tomar todos os detalhes do loft. A única desvantagem que vejo para este sistema é que a poeira os pombos que não só é prejudicial aos nossos pulmões, mas também pode penetrar cada canto do computador e danos que, uma situação que vai nos forçar a ter o aparelho onde a poeira vem, ou seja, longe do loft. De qualquer forma todo o apoio que nós usamos, devemos controlar as seguintes disciplinas:

1. Controle de reprodução:

Em primeiro lugar, e como fundações do loft deve ser controlado e sempre muito presente, todos e cada um dos pedigrees dos jogadores, já que esta será a principal ferramenta para lidar, uma vez que esses genes são os pilares do edifício (projeto esportivo) queremos construir.

De cada jogador tem que ir de pontuação como os seus descendentes estão trabalhando e como e quando eles perderam, ou o destino dessas aves, no caso de embarques para derbies, presentes etc vendas e comportamento esportivo. Com esses dados podemos já estar a fazer uma lista de jogadores, eles têm que estar em constante questionamento. Isto, a nível individual, seja homem ou mulher, o nível de casais, deve levar um guia de todos os ninhos que fazemos, onde você escreve para baixo, pelo menos: a identificação do casal, data de colocação de cada embreagem data, data de nascimento, desmame e número de pintos de anel e como criamos observações relevantes.

2. Treinamento de controle:

Pelo menos tem que usar uma forma particular de treinamento que fazemos estrada que especifica, pelo menos: a quilometragem, o tempo de chegada ao ponto de liberação, tempo de permanência no ponto de lançamento, a liberação de tempo, temperatura, vento, outro fatores climáticos e da ordem de chegada dos atletas. Para mais meticulosa pode acompanhar diariamente exercícios que eles fazem

em torno do loft onde você entra sistema de vôo (forçado ou escolha) e, no caso de trabalho forçado especificar o método utilizado (bandeiras, balões, foguetes etc.) Com esses dados de treinamento (antes da competição), e pode estar se formando uma idéia de quem e como vamos estar respondendo na época desportiva.

3. Competições de controle:

As listagens de chegada de um concurso que dá ao clube, são incompletos, porque só tem dados até o final dela, os dados do nosso relógio eletrônico pode refletir a nós mesmos até os pombos que chegam alguns dias depois, embora isso deva ser levado o relógio a partir do sótão que se abre até que fecha. Onde

obter esses dados, necessariamente manter o controle de todas e cada uma das aves enviadas para cada competição para manter o controle de pomba indivíduo na disputa, e é com os dados que passam estas quadrantes com a qual devemos ir modificar (se necessário) a composição do nosso jogador caixa.

4. Controle de Potência:

É um ponto-chave durante os 365 dias por ano. Se o tempo de corrida, a criação muda, ou descanso. A comida, o que quer, deve estar sempre nas melhores condições, livre de insetos ou fungos. A maioria das marcas comerciais que oferecem alimentação específica e suplementos para cada etapa. Mas o criador é obrigado a escolher a forma de ração ou administrar alimentos. Para que possa aproveitar a experiência dos colegas, livros e revistas, fóruns colombófilas Internet, etc, onde certamente encontrará muitas maneiras de gerir a nutrição da colônia.

Cada estação, idade actividades, ou concorrência exigem uma alimentação adequada, porque as necessidades fisiológicas não são as mesmas para um pombo de um mês para um grande fundo Dove Road. Então, temos que dividir o tipo de energia, dependendo dos grupos diferentes que estabelece o loft. Da mesma forma, e mais para os atletas, o planejamento deve ser uma base diária, o que distingue o que é dado para comer e beber. Tentando chegar mais perto das necessidades metabólicas das aves como eles retornam, voltaram ou vai encestarse.

Um planejamento semanal ajuda-nos tanto tempo para alimentá-los com cuidado, fornecendo orientações aos criadores potenciais ajudantes não quando não pode alimentá-los.

5. Controle profilático e preventivo:

Em pombos, a medicina melhor e mais barata é a prevenção. Temos de lidar com vários aspectos, limpeza, vermes, roedores, pássaros silvestres, pombos perdidos, vacinação, etc. O ideal é limpo uma vez por dia, mas nós não podemos fazer. Pelo contrário, uma limpeza semanal não é má e permitindo que o corpo de pombos expostos a certos agentes patogénicos e desenvolver uma maior imunidade. Devemos estar cientes de que o maior número de aves que temos em um buraco, maior será o volume de fezes expulso e menos tempo que o pombo permanecerá relativamente limpa. Recorde-se que 3 é o número de pombos aconselhados pelo eixo m3. Se a limpeza regular acompanhar o uso da desinfecção lixívia diluída tocha e se aprofundar.

O banheiro é importante para as aves, as penas limpar e ajuda a manter a parasitas externos. Em bom tempo, pode vir a tomar banho todos os dias, mas com 2 ou 3 banhos por semana, se não chover o suficiente. Nós damos-lo apenas com água limpa ou produtos comerciais ou vinagre de cidra de maçã naturais, uma boa dica é inserir ambos. Da mesma forma, se temos mais saúde e segurança para este site, damos os nossos chuveiros pombos em vez de banhos, assim evitaria os pombos bebem a água do banho em épocas de verão pode se tornar um foco real de todos os tipos de doenças. Devemos sempre evitar roedores. E é muito fácil de conseguir se tornar a vida impossível no loft. Como? Não deixar alimentos na ponta dos dedos, ou reproduzir ou lugares escondidos. Simplesmente isto e tempo, vamos vê-los de acampamento pelo loft, uma vez que são animais com um alto metabolismo e se eles podem garantir o apoio, fazer fora de procurar outro lugar. Nunca se perde pombos com a nossa, não importa o quão saudável que olham. A vacinação contra a varíola paramixovírus e garantias que não tenham que se preocupar com eles um tempo.

6. Saneamento:

Se o momento de enfrentar a doença, não devemos desesperarnosm foco, sobre o problema e não se repetirá. Antes de sintomas evidentes de uma ou mais aves não são bem procurar aconselhamento, de preferência entre veterinários e criadores mais experientes. É a maneira mais eficaz para isolar o problema e começar a tratá-la bem com a mídia que oferece medicina veterinária moderna. Uma vez que iniciar o tratamento, sempre estritamente seguir as doses e períodos recomendados pelo fabricante do medicamento. Se um pombo está doente, acredite em mim, olhar para o número do anel e matá-lo, às vezes, temos indivíduos portadores latente no sótão que acabará por dar a nossa indulgência novamente com futuros surtos da doença. Medicaremos evidente apenas na doença suspeita ou confirmada. É a melhor maneira de não criar bairros com drogas patógenos resistentes. Porque, se a memória falha-nos, traga um relatório de síntese para o tratamento coletivo que damos para a colônia, seria uma boa opção e outro relatório de síntese que refletir, pelo menos, o número de anel, causa, tratamento e evolução dos pombos que temos teve que se defender por acidente ou doença.

7. Controle Ambiental:

Um pombo geralmente tem que caber no espaço e dinheiro à nossa disposição, de modo que não será sempre o loft de nossos sonhos. No entanto, existem formas de garantir que é um bom pombal. Tem que ser uma casa, um lugar onde os pombos são protegidos de fatores externos, como calor, frio, umidade, vento. Evite uma lacuna a ser selado, deve ter boa ventilação garantida para renovar o volume interno de ar e gases de distância, mas fazer isso sem produzir correntes diretas de ar que podem atingir os pombos. Para conseguir um controlo apertado neste campo, temos de estar conscientes de alguns fatores para

tempo para construí-lo e depois ir por polimento com diferentes modificações para alcançar o melhor estado possível. É muito fácil obter a ventilação natural em uma sala, apenas por pontos de entrada de ar pequenos para a saída de baixo nível e alta ou no teto. Se isso não obtê-lo, podemos forçá-lo. Hoje temos menos de 20 € e em qualquer loja de ferragens pequenos ventiladores para anexar as saídas de ar. Muito tranquilo e poderoso e pode se conectar a circuitos temporizados. O gabinete deve garantir à prova d’água para manter a umidade longe. Fornecer alguma ruptura térmica com o exterior

tanto para o calor para a frio. Permitir que mais luz possível, mais em meses menos ensolarados. Você deve ser capaz de ter um ou vários aviários, para trazê-los excepcional sair do banheiro e tomar o sol E finalmente, guarda do vento e de predadores.

8. Controle administrativo:

Alguns criadores têm como objetivo trazer o cavalo na frente do carro, ou seja, gastar além de suas possibilidades e que a médio prazo pode gerar esportes fracassos. Seria bom, manter o controle sobre os gastos que produz o sótão para ver até onde podemos ir com eles. Neste “ledger” poderíamos gravar todas as despesas fanciers: comida, compras pombos, derbies encargos de drogas, revistas, combustível, anéis, chips etc, etc … e renda … se houver, nada mais do que duvidosa pombo espanhol. Com esses dados em mãos, sabemos onde colocar a tesoura para o orçamento chega até nós. Devemos sempre ter em mente que as nossas prioridades de gastos são para a família, e para pombos episódio sobras. Em lofts onde pombos são recebidos regularmente perdidos, ou deixados sobre uma lâmina de barbear para controlar a entrada e saída é dado a esses pombos fora. Alguns são perfeccionistas, que também mantém um diário, onde eles gravam tudo o que vai acontecer notável no sotão, algo que está fora da pontuação é normal, e todas as entradas tais formarão um banco de dados poderoso que pode tirar a analisar e tirar conclusões.

Se mantivermos sob vigilância constante e testar todas ou parte das sugestões neste artigo nós discutimos, nós estamos no caminho certo, outra coisa será bem-sucedida nos esportes, onde além do fator organizacional influenciando fatores críticos, tais como os 3 P (pombo, pomba, e pipoca), os juízes triângulo ano após ano nos implacavelmente.

Autores: Felix Martin Vilche e Carlos Padin Cores

Publicado em Deixe um comentário

Sistema para reprodução

Sistema para reprodução

Para os seus pombos não perderem a forma, a temperatura no seu pombal deve estar acima de 10 e abaixo dos 30 graus Célsius, e a humidade mantida abaixo de 65%.

Estas são as condições que favorecem a saúde contínua e conhecida como a zona termo neutra para o pombo.

Na maioria dos pombais, é a humidade, mais do que a temperatura, que influencia a forma dos seus pombos.

Humidade mede a quantidade de humidade no ar, independentemente da temperatura do ar, mas é a humidade elevada (superior a 65%) associado a uma temperatura abaixo de 15 graus Célsius que mais afeta a capacidade dos pombos descansarem.

O pombo perde a forma e se torna-se susceptível às doenças, quando não têm o repouso adequado.

As fezes no pombal são a melhor indicação dos níveis de humidade.

Num pombal saudável, uma baixa humidade (inferior a 55%) apresenta-se fezes castanhas e consistentes enquanto uma maior humidade (superior a 65%) irá produzir fezes aquosas e verdes.

À noite, quando os pombos precisam de descansar, há sempre um aumento na humidade, porque quando a temperatura cai a humidade aumenta. Isto explica as fezes líquidas e verdes na manhã após uma noite fria e húmida, mas que viram castanhas e consistentes durante o dia sempre que a temperatura aumenta.

Não há dois pombais, mesmo se eles são idênticos, terão  o mesmo nível de humidade, pois a humidade dentro do pombal está diretamente relacionada com a humidade fora do pombal.

O fator de controle de humidade é a localização (ou região) do pombal.

A única diferença é a localização do pombal.

Alto risco humidade:

Pombais perto da água (mar, lagos, rios, canais, canais de drenagem, piscinas de natação).

Pombais adjacentes às grandes áreas baixas abertas (áreas gramadas, áreas de nevoeiro).

Pombais sem sol para secar o chão (debaixo de árvores, nos vales, no lado errado do morro, há sol até o final da tarde).

Pombais em áreas de alta pluviosidade.

Estes pombais exigem um design para que a humidade externa não entre.

O isolamento é o primeiro passo para controlar flutuações de temperatura e alta humidade no interior do pombal.

É a humidade gotas de condensação que aparecem no interior das paredes e tetos não isolados, que aumentam a humidade dentro do pombal para níveis muito elevados que predispõem os pombos a doenças respiratórias e inquietação.

O isolamento das paredes e do teto vai parar essa condensação e permitem o controlo de doenças respiratórias com o mínimo uso de medicamentos.

Em áreas com humidade alta, fechar o pombal até à noite ou quando está a chover é um bom método de controlar a humidade dentro do pombal (persianas são muito usadas), mas a circulação do ar e da qualidade do ar dentro do pombal não devem ser comprometidos.

Muito frequentemente, o pombal é completamente fechado, sem pensar sobre a circulação de ar.

Aquecedor a noite é benéfico para os seus pombos. Os seus pombos continuam em plena forma quando o pombal está fechado à noite, mantendo-o quente e seco.

No entanto, é melhor ter um pombal muito aberto sem correntes de ar para recuperação de doenças respiratórias para evitar germes acumulados no interior do pombal e de infectar outros pombos.

Aquecedores de barra à base de óleo são seguros e eficazes para usar quando a temperatura cai abaixo de 12 graus Célsius e são usados para evitar a perda de forma, mantendo o ar seco.

Desumidificadores também estão disponíveis, mas o ruído pode impedir que os seus pombos do repousem bem.
Higrómetros podem ser instalados para monitorizar a humidade dentro do pombal, mas muitas vezes os sais na areia ou pó mineral são igualmente eficazes no controlo de humidade superior a 65%.

Estes sais de atrair a humidade. Podemos também utilizar areia de sílica (areia utilizada para gatos) no chão dos seus pombais.

 

 

Publicado em Deixe um comentário

Como alimentar bem seus atletas

“Quem domina essa matéria tem tudo pra ser um campeão”

Três Tipos de Rações

DEPURATIVA
DIETA
SPORT

DEPURATIVA “ESPECIAL”

Composição: 
40,0% – CEVADA
20,0% – TRIGO
10,0% – CÁRTAMO (opcional)
10,0% – SORGO
10,0% – ARROZ (cateto c/casca)
05,0% – SORGO (vermelho)
05,0% – SEMENTES E GRÃOS PEQUENOS

DEPURATIVA “SIMPLES”

Composição:
40,0% – CEVADA
30,0% – TRIGO
15,0% – SORGO
15,0% – ARROZ (c/casca)

DIETA “ESPECIAL

Composição:
25,0% – CÁRTAMO
25,0% – SORGO (branco)
25,0% – ARROZ (c/casca)
10,0% – TRIGO
05,0% – SORGO (vermelho)
03,5% – TRIGO MOURISCO
03,5% – SEMENTES E GRÃOS PEQUENOS
01,0% – LINHAÇA
01,0% – AVEIA DESCASCADA

SPORT

Composição:
35,0% – MILHO
15,0% – ERVILHA
10,0% – CÁRTAMO
10,0% – SORGO (branco)
05,0% – FEIJÃO
05,0% – SORGO (vermelho)
05,0% – TRIGO
05,0% – LENTILHA
05,0% – ARROZ (c/casca)
05,0% – GIRASSOL

Dar comida duas vezes ao dia: Se alimentar uma vez só ao dia, os pombos irão metabolizar os alimentos lentamente, eles acham que é a sua fome e armazena energia em forma de gordura. O certo é dar comida duas vezes ao dia.

Um pombo come em media 30 gramas por dia.

Tabela de álculo:

Para calcular as quantidades e dar faça o seguinte: quando os pombos estiverem já em fase de pré competição, após os primeiros treinos escolha um dia em que não tenha feito treinos à pelo menos dois dias antes, e pese a comida, antes de dá-la a 2º refeição. Vai dando aos poucos enquanto eles quiserem comer. O que sobrar pesa e desconta ao que tinha pesado inicialmente. Divida pelo numero de pombos e obterá uma media por pombo.

Faça quer com os machos quer com as fêmeas, pois verá que comem quantidades diferentes.

Essa média fica como referência ao símbolo (+++) e todas as semanas na ultima refeição da véspera do encestamento terá o cuidado de notar se os pombos comeriam mais, ou menos. Se o fizerem reajuste os cálculos para estes novos valores, pois com o evoluir da primavera e conseqüente aumento da temperatura os pombos passam a necessitar de menos energia, as temperaturas baixas e o evoluir de semanas de constante atividade desportiva podem aumentar as necessidades por isso reajuste sempre que vir que sobra ração ou que não ficou um único bago no comedouro.

Para o símbolo (++/-) desconte 2,5 gramas por pombo
Para o símbolo (+/-) desconte 5 gramas pombo
Para o símbolo (-) desconte 7,5 gramas por pombo.

Para o meio fundo os valores da quantidade de comida deverão ser sempre superiores. Pelo que a experiência diz-me que devo reajustar os valores em mais 5 gramas pombo dia.

PROVAS VELOCIDADE E MEIO FINDO.

Domingo: (chegada do concurso) Ração de depurativa á vontade.

Segunda Feira: Ração de Dieta à descrição.

Terça Feira: Ração Dieta na quantidade de 10 Gramas de manhã e 20

Gramas de Tarde por pombo.

Quarta Feira: 50% ração Dieta + 50% Sport (15+20gramas)

Quinta Feira: 25% Super Dieta + 75% Sport (17+22gramas)

Sexta Feira: ração Sport (20 gramas de manhã) e à tarde à descrição.

Sábado: (Dia do encestamento) dar somente de manhã cerca de 10 gramas

de Dieta. Logo que os pombos começam a beber água deve retirar o resto da ração.

OUTRA FORMA

À chegada – recebe depurativa. À noite, ração Sport à descrição.

2ª feira – Depurativa
3ª feira – 80-70% depurativa, 20-30% Sport
4ª feira – 50-50%
5ª feira – 20-30% depurativa, 80-70% Sport
6ª feira – 100% Sport

No dia do encestamento alimenta os atletas com ração Sport – pouca quantidade – não devem ter muito apetite, servindo muito pouco à tarde.

Nota: É importante conhecer bem a necessidade de cada um dos pombos, este esquema não deve ser levado à risca, tem de atender-se a esse importante pormenor. O método para velocidade e meio-fundo é basicamente igual. Para fundo aumentam a quantidade de ração Sport para aumentar os hidratos de carbono e servem um produto à base de carnitina (A carnitina é um nutriente sintetizado de um aminoácido essencial, a lisina, estando presente em todas as mitocôndrias do corpo), para aumentar a resistência e conseqüentemente evitar a fadiga e as cãibras.

TABELA DE TREINAMENTOS (VÔOS)

Segunda Feira: Os pombos podem voar algum tempo para recuperação e descompressão dos músculos (treino pós-prova).
Terça Feira: Os pombos voam 30 minutos de manhã e 35-40m à tarde.
Quarta Feira: Treino de linha reta de 30 a 40 km
Quinta Feira: Os pombos voam 50 a 60 minutos (bi-diário).
Sexta Feira: Voam 50 a 60 minutos (bi-diário).
Sábado: Descanso

Os treinos à volta do pombal são bi-diário, tanto para machos como para as fêmeas, começando por 20 minutos à segunda-feira, 30 minutos as terças e quartas, 45 minutos à quinta-feira e 60 minutos à sexta de manhã, descansando nesse dia da parte da tarde, para acumular as energias necessárias para o concurso do fim-de-semana.

Ultima refeição: A hora de dar a ultima refeição depende da previsão da hora da solta e da provável hora de chegada. Cerca de uma hora e meia, antes da hora prevista de chegada, ou uma hora antes se a prova for difícil. Considero que a prova é difícil quando se prevê que a média efetuada venha ser inferior a 1050 m/m.

BEBIDA

Exceto os dias muito quentes, o bebedouro nunca está no pombal. Após a distribuição de ração, vai rodando o bebedouro de seção para seção… “sinto que esta forma os pombos bebem mais quantidade de água”

Publicado em Deixe um comentário

O olho de pombo

Se avaliar o olho, não podemos ignorar o fato de que um pequeno aluno é importante. Um aluno trai grande nervosismo e uma força de vontade fraca.

Quanto mais os quilômetros graves que têm de ser pilotado, os pombos menos estes são encontrados na parte da frente, quando os desempenhos realmente tem que lutar por eles.

É por isso que eu não gostaria de introduzir pombos com pupilas grandes em meu estoque. Eles não têm mentalidade de lutar bastante e isso é exatamente o que eles precisam para ganhar grandes corridas. A maioria dos pombos Ace também tem um pequeno aluno. Pombos Ace para mim são os vencedores em todas as frentes entre os 100 e 750 km.

Você encontra os alunos mais grandes entre os bons pombos sprint. Sprint pombos não são realmente obrigado a empurrar-se regularmente ao limite.

Para lutar até o fim. Aqui é sobre coisas totalmente outras: velocidade, inteligência e, claro, uma grande dose de preparação do apreciador treinador pombo.

Te maior a distância, mais a qualidade do pombo tem uma influência. Sem energia, os músculos flexíveis e mordaz, não pombo ganha uma corrida de 650 km com 1100 alunos mpm pequenos são, portanto, de grande importância para mim. Quando eu julgar um olho de pombo é sempre nas mesmas condições: na minha mesa com uma lâmpada de halogéneo para a luz.

Em seguida, as condições são sempre idênticos e os olhos podem ser sempre considerada adequada.

Regularmente mover a cabeça do pombo longe da luz e eu não gosto de ver os alunos ampliar enormemente imediatamente. Os alunos devem ser pequeno em sob quaisquer condições. Os alunos que permanecem do mesmo tamanho que considero ser bom para reprodução ou corridas.

A segunda coisa que notamos no olho de pombo é a íris, o anel de todas as cores possíveis entre o aluno ea incolor, que continua sob as pálpebras. A fronteira é formado por um círculo preto fina separando o que nós, criadores de pombos ter nomeado após belga colega Louis Vermeyen: o Vermeyen-anel. Digamo-lo como ele é: nenhuma definição claramente definida pode ser dada a forma como um olho de pombo ideal (leia-se: Projeto cq cor da íris) deve olhar.

Um monte de gosto pessoal, julgamento e intuição entra em jogo. E cada columbófilo é livre na elaboração de suas próprias idéias.

Eu nunca fiz nenhum segredo do fato de que estou muito encantado com um olho ricamente colorido, prevista desde o projeto necessário e profundidade.

Este último também é chamado de pigmentação. E o presente mais pigmentação no olho de pombo, o melhor olho está prevista a das mais bonitas cores. Um pequeno aluno com cores profundas e completas, alojados em uma cabeça do tipo “cara de coruja”, onde você pode ver os dois olhos quando você olhar diretamente para o bico, são as minhas favoritas aparições em um pombal.Personalidade tem de irradiar a partir da cabeça.

Um pombo tem que irradiar. Irradiam, que é uma mistura de inteligência, força de vontade, experiência de vida e mais essas coisas. Leva anos de experiência para b poderia julgar a este bem. Um pombo criação tem que ter isso para mim.

Se ela está claramente não polvilhado com os elementos misteriosos de “algo”, então eu não vou usar como um pombo para a reprodução. A experiência ao longo dos anos tem-me ensinado que os pombos estúpidos raça pombos estúpidos muito mais fácil do que os pombos inteligentes produzir pombos inteligentes. Ou seja, dois burros nunca produziram um cavalo de corrida. E depois de ter introduzido um pombo estúpido então custa de anos e anos para remover essa estupidez de seu estoque de pombo.

Estou sempre à procura de pombos com rostos descritivos. Rostos que me dão informações suficientes sobre o oh, tão características importantes para reprodução. Como você pode aprender isso para que você possa verificar se o seu gosto pessoal a respeito de um olho de pombo é certo? Ganhando experiência a cada oportunidade possível.

É uma questão de querer ver, fazer-se ver!

Fonte: Steven van Breemen

 

Publicado em Deixe um comentário

Habilidades de Pombos

Em um artigo famoso em 1995, Watanabe, Sakamoto e Wakita descreveu um experimento que mostrou que os pombos podem ser treinados a discriminar entre pinturas de Picasso e Monet. As aves foram inicialmente treinados em um conjunto limitado de pinturas: quando a pintura foi mostrado um Picasso , o pombo foi capaz de obter comida por bicadas repetidas, quando era um Monet, bicadas não teve efeito. Depois de um tempo, os pombos só bico quando aparece pinturas de Picasso.

Eles foram então capazes de generalizar, e corretamente discriminar entre pinturas dos dois pintores não foi mostrado anteriormente, e mesmo entre cubista e pinturas impressionistas (cubismo eo impressionismo sendo as duas escolas estilísticas Picasso e Monet pertencem). 

Quando as pinturas de Monet foram mostradas de cabeça para baixo, os pombos não foram capazes de categorizar corretamente anymore;. Mostrando o cubista funciona de cabeça para baixo não tem tal efeito . Em 1995, os autores ganharam o bem-humorado Ig Nobel de psicologia para este trabalho em um papel mais tarde, Watanabe mostrou que, se os pombos e estudantes universitários humanos sofrem a mesma formação, o seu desempenho na distinção entre Van Gogh e Chagall pinturas é comparável. experimentos similares haviam mostrado anteriormente que os pombos podem ser treinados para distinguir entre as fotos que mostram seres humanos e os que não o fazem, e entre as fotos que mostram árvores e os que não têm, entre muitos outros exemplos.

Em todos estes casos, a discriminação é muito fácil para os seres humanos, embora as classes são tão complexas que nenhum algoritmo simples distinguir ou regra pode ser especificada. Daí que tenha sido argumentado que os pombos são capazes de formar “conceitos” ou “categorias” semelhantes aos seres humanos, mas essa interpretação é controversa. No entanto, os experimentos são importantes e muitas vezes citou exemplos em ciência cognitiva. ter apresentado em numerosos experimentos em psicologia comparativa, incluindo experimentos em questão com a cognição animal, e como resultado temos um conhecimento considerável de inteligência pombo. dados disponíveis mostram, por exemplo, que:   

Pombos * têm a capacidade de compartilhar atenção entre diferentes dimensões de um estímulo, mas (como os seres humanos e outros animais) o seu desempenho com múltiplas dimensões é pior do que com uma dimensão único estímulo.    

Pombos * Podem ser ensinados ações relativamente complexos e seqüências de resposta, e pode aprender a dar respostas em diferentes sequências.    

* Os Pombos facilmente aprender a reagir na presença de um estímulo simples e reter responder na presença de um estímulo diferente, ou para dar respostas diferentes na presença de estímulos diferentes.    

* Os pombos podem discriminar entre outros pombos individuais, e pode usar o comportamento de outro indivíduo como uma sugestão para dizer-lhes que resposta a dar.    

* Os Pombos facilmente aprender a dar respostas discriminativas para diferentes categorias de estímulos, definida por regras arbitrárias (por exemplo, triângulos verdes) ou por conceitos humanos (eg imagens de seres humanos).    

* Eles fazem menos bem com as categorias definidas por abstratas relações lógicas, por exemplo, “simétrico” ou “mesma”, embora alguns pesquisadores têm treinado com sucesso os pombos de discriminar essas categorias.    

* Os pombos parecem exigir mais informações que os seres humanos para a construção de uma imagem tridimensional a partir de uma representação plana.    

* Os pombos parecem ter dificuldade em lidar com problemas que envolvem classes de classes. Assim, eles não fazem muito bem com o isolamento de uma relação entre as variáveis, como contra uma representação de um conjunto de exemplos.

Pombos * podem lembrar um grande número de imagens individuais por um longo tempo, por exemplo, centenas de imagens para períodos de vários anos.

Todas essas são capacidades que possam ser encontrados na maioria dos mamíferos e aves.

Além disso pombos têm habilidades incomuns, talvez única, para aprender as rotas de volta para sua casa a partir de longas distâncias. Este comportamento homing é diferente da de aves que mostram a migração, o que geralmente ocorre ao longo de um percurso fixo a tempos fixos do ano, enquanto que homing é mais flexível; mecanismos semelhantes no entanto podem estar envolvidos.

Adicionalmente pombos pode estar entre os animais muito poucas para passar no teste do espelho [1] – que testa se um animal reconhece sua reflexão como uma imagem de si mesmo – junto com os chimpanzés comuns, bonobos, orangotangos, golfinhos, elefantes e seres humanos.No entanto, os testes que pretendia mostrar que os pombos podem passar o teste do espelho ter sido criticado por muitos cientistas