Publicado em 8 comentários

Artigo: O uso de probióticos em Pombos-correio

A relação bactéria-hospedeiro

Através da evolução, as bactérias e os animais de sangue quente tornaram-se intimamente associados para formar um sistema fechado para benefício mútuo.  

Por meio de tentativa e erro, ao longo de milênios, as populações de bactérias nativas de seu hospedeiro animal evoluíram.  

O animal hospedeiro recebe os benefícios de auxílio no processo digestivo, fabricação de nutrientes essenciais, proteção contra outras bactérias indesejáveis, auxílio no controle da água no organismo e outras vantagens metabólicas. 

As bactérias, em contrapartida, recebem temperaturas favoráveis ​​para seu crescimento, um fornecimento constante de nutrientes e substâncias essenciais na forma de secreções corporais.

Devido à natureza exata dessa relação, existem populações bacterianas que são as mais favoráveis ​​ao animal hospedeiro.

Alterar cada membro desse relacionamento mutuamente benéfico é profundamente influenciado pelo outro. 

Quando certas mudanças ocorrem no hospedeiro, as mudanças correspondentes são refletidas nas populações bacterianas do intestino. 

As alterações bacterianas podem ocorrer como resultado de estresse, mudanças na dieta, antibioticoterapia e outros fatores.  Em vez disso, conforme a população bacteriana residente muda, ocorrem mudanças subsequentes na atividade do animal.  Isso inclui alterações na capacidade do hospedeiro de digerir seus alimentos e de se proteger de doenças intestinais.  

O animal hospedeiro então tem o problema de retornar a um relacionamento ideal com sua população residente normal de bactérias. 

Esperançosamente, você pode alcançar esse relacionamento antes que os desafios posteriores alterem o estado ideal novamente.

Onde os animais não estão estressados, têm uma dieta adequada, não estão superlotados, não recebem medicamentos, não contraem infecções ou doenças metabólicas e vivem em um ambiente limpo, um nível ideal de população bacteriana intestinal pode ser mantido razoavelmente estável.  Na verdade, nenhuma diferença é geralmente relatada em vários ensaios, sob essas condições ideais.

Desequilíbrio

As condições descritas acima, entretanto, não são adequadas ao ambiente em que nossos pombos correm.  

Mesmo nos melhores pombais, sob os melhores administradores, os pássaros estão sujeitos a vários tipos de estresse. 

Isso significa que a interrupção do equilíbrio normal das bactérias intestinais pode ser um evento comum.  Se um estado ideal for mantido, haverá uma ótima utilização de nutrientes e resistência a organismos prejudiciais. Isso foi demonstrado em vários experimentos.

O que é um probiótico?

Os organismos normalmente encontrados no intestino de animais saudáveis ​​e sem estresse são chamados de probióticos.  

O conceito probiótico envolve a realimentação ou reintrodução dessas bactérias em um animal. 

Muitos estudos em muitos países mostraram que, embora essas bactérias possam controlar e excluir outras bactérias nocivas, elas são, na verdade, as mais suscetíveis de serem afetadas pelo estresse.  

A maioria dos produtos probióticos consiste em culturas vivas naturais de cepas específicas de Lactobacilos e estreptococos entéricos (Enterococcus).

Restaurando o equilíbrio

Uma vez que foi estabelecido que alimentar animais com certas bactérias vivas tem o potencial de produzir efeitos benéficos em certas circunstâncias;  isto é, quando o equilíbrio bacteriano normal foi interrompido, a entrega real desses organismos do laboratório para o animal tornou-se o próximo obstáculo.  

As empresas farmacêuticas já o superaram.  A grande empresa farmacêutica japonesa, Yakult, fabrica um probiótico humano (Lactobacillus casei) como bebida à base de leite em Victoria, Austrália.  

Isso é distribuído em todos os estados do leste da Austrália.  

Os australianos consomem um milhão de garrafas todas as semanas.

Quatorze milhões são consumidos no Japão todos os dias! 

Curiosamente, em pessoas, estudos mostraram que pessoas que bebem Yakult e são expostas a doenças como a salmonela têm muito menos probabilidade de adoecer.  

O uso de probióticos em pessoas também demonstrou diminuir a chance de câncer de intestino.  Uma vez que, muitas das bactérias nocivas produzem toxinas que são cancerígenas (podem induzir o câncer), sua exclusão pode reduzir o risco dessa doença.

Para aves, existem preparações de gel probióticos para dosagem individual e pós solúveis em água para tratar o rebanho.  Estes fornecem bactérias vivas benéficas selecionadas com excelente estabilidade quando protegidas de calor e umidade extremos. 

Devido à estreita relação entre o animal hospedeiro e sua população bacteriana, é importante que os organismos corretos sejam fornecidos na preparação probiótica para qualquer espécie. 

Suplementos probióticos devem ser preparados com uma espécie particular em mente e os mais tipos de bactérias normais pode ser fornecido, o melhor.  

Para uso em pombos, portanto, são usados ​​suplementos de probióticos aviários de múltiplas cepas.

Modo de ação

Como eles funcionam?
• Inibição competitiva.  Bactérias benéficas são conhecidas por produzirem ácido lático, peróxido de hidrogênio, antibióticos e outras substâncias que ajudam a manter os patógenos potenciais sob controle. 

Como muitos amadores sabem, os invasores potenciais mais prováveis ​​são E. coli e Candida (levedura ou ‘candidíase’) e também, em pássaros extravagantes, Salmonella. 

Esses organismos são oportunistas e esperam causar doenças sempre que os pombos ficam estressados.  

O estresse interrompe as bactérias intestinais normais e dá a esses organismos a chance de invadir.  O 

pH do intestino saudável é ligeiramente ácido.  Com a infecção por E. coli, torna-se alcalino.  

Qualquer coisa que acidifique o intestino criará um ambiente hostil para a E. coli, dificultando a sobrevivência dos organismos.

É por isso que se acredita que adicionar níveis controlados de vários ácidos à água potável pode ter um efeito benéfico sobre essas infecções, e também porque a prática mais antiga de adicionar vinagre de maçã (ácido acético) à água pode ajudar.  O ácido láctico produzido pelos probióticos produz o mesmo resultado.  

Além de acidificar fracamente o intestino, os probióticos ajudam muito mais a ave, pois produzem camadas protetoras de limo que revestem o revestimento do intestino e também ocupam preferencialmente locais receptores na parede intestinal, no processo excluindo bactérias como a E. coli.

Portanto, eles oferecem uma forma natural eficaz de combater o problema sem a necessidade de antibióticos.  

Além disso, não há risco associado ao seu uso, pois pode haver com ácidos. 

Ao tratar pássaros, estamos simplesmente inundando o intestino com bactérias benéficas que, por meio de sua atividade normal, restauram a saúde.

• Estimulação do apetite.  Os probióticos parecem ter um forte efeito estimulador do apetite. 
Eles são conhecidos por produzir enzimas digestivas e vitaminas B. 

Esses efeitos ajudam a ave a obter o máximo de nutrição de seus grãos. 

Um estudo publicado recentemente nos Estados Unidos mostrou que pintos de periquito criados à mão desmamados com 6 semanas de idade, suplementados em dias alternados com probióticos, eram 14% mais pesados ​​ao desmame do que galinhas que não receberam probióticos.

• Estimulação imunológica.  
Trabalhos recentes de cientistas de todo o mundo indicam que os probióticos aumentam a imunidade geral.

Uso de probióticos
Quando os columbófilos podem usar os probióticos a seu favor?

• Depois de qualquer estresse.  
É bem sabido que o estresse induz uma perturbação das bactérias intestinais normais e que as bactérias benéficas são as primeiras a se perderem com o estresse.  

Uma vez que o estresse remove essas bactérias benéficas de seu ambiente normal, muitas outras são perdidas do trato digestivo e substituídas por um crescimento excessivo de bactérias não benéficas. 

Isso pode resultar em diarréia, perda de desempenho, diminuição do apetite e, no loft, crescimento atrofiado e ganho de peso limitado nos jovens.  

Os probióticos restauram o equilíbrio entre as bactérias benéficas e não benéficas.  

É melhor administrá-los o mais rápido possível após o estresse ou pouco antes do momento de estresse. 

Fazendo isso, doenças ou problemas de desempenho podem ser evitados.

• No loft de valores.  
Use probióticos regularmente no celeiro de gado como parte do manejo de rotina, especialmente durante a época de reprodução.  

Use duas a três vezes por semana quando as aves crias estão alimentando os filhotes.  Isso ajuda as aves a resistir a E. coli (frequentemente associada a ninhos úmidos) e garante que as aves obtenham o máximo de nutrição possível de suas sementes em um momento que muitas vezes exige muito delas.  

O uso de probióticos ajudará os pais a produzir descendentes vigorosos e robustos.

• No loft de corrida.  Probióticos podem ser usados ​​no loft para tratar e prevenir infecções por E. coli e Candida (levedura). 

O estresse desorganiza as bactérias intestinais, dando à E. coli e ao fermento a chance de causar doenças.  

Em lofts onde estes são um problema, probióticos podem ser usados ​​sempre que E. coli ou levedura são observados ao microscópio, quando as fezes ficam verdes ou verdes e aquosas, ou quando há condições climáticas que favorecem E. coli, especialmente quando o tempo é frio e úmido ou úmido.

Nesses lofts, é uma boa ideia administrar probióticos rotineiramente como parte do programa de gerenciamento de doenças do loft, com o foco aqui na prevenção da doença, em vez de esperar que ela apareça.  

Quando surtos de E. coli e leveduras são um problema, nosso desafio é identificar o estresse que causou o surto e ao mesmo tempo ajudar as aves a eliminar E. coli e leveduras por meio do uso de probióticos.  

Sem estresse contínuo, as fezes parecerão normais 24 horas após o início do uso de probióticos.  

Dito isso, os probióticos não são uma panacéia.

A falta de resposta aos probióticos pode ser esperada em uma das duas situações:

1. Quando o estresse continua.  
É importante identificar e, se possível, eliminar quaisquer estresses predisponentes para garantir uma boa resposta ao tratamento.  

A analogia de tentar secar o chão sem fechar a torneira.  

O estresse pode vir de um problema com o ambiente ou gerenciamento do loft, ou pode estar associado a uma das doenças mais sérias, como cancro, infecção respiratória, coccídia ou vermes.  

Com a identificação e correção do estresse subjacente, pode-se esperar uma boa resposta aos probióticos.

2. E. coli grave ou outras infecções bacterianas.  

As infecções graves passam do ponto em que podem ser tratadas com sucesso com probióticos e o uso de medicamentos como antibióticos à base de enxofre torna-se necessário.  

Se administrados, eles devem ser administrados por 4-5 dias apenas e é melhor, se usado durante a temporada de corridas, no início da semana para que as aves tenham alguns dias entre o uso e o encestamento.  

No entanto, o tratamento com probióticos muitas vezes pode evitar que a infecção progrida a ponto de ser necessário o uso desses antibióticos.

• Pós-carreira. 
O próprio estresse da corrida causa perturbações na população intestinal normal.  

Os entusiastas notarão que geralmente leva de 24 a 48 horas para que os excrementos das aves que correram voltem ao normal.  

Descobrimos que, se eles voltassem para casa com os probióticos, na manhã seguinte os excrementos teriam muito mais probabilidade de se formar normalmente e ficar marrons, e o pássaro continuará com uma queda de penas.

• Pós-desmame.  
No momento, não queremos usar drogas. Queremos desenvolver uma forte imunidade natural.  

Os probióticos estimulam especificamente isso.

• Após o uso de antibióticos. Especialmente durante as corridas, o uso de probióticos após os antibióticos acelera a restauração da população intestinal normal.

• Muda.  
Manter um intestino saudável durante a muda ajuda a entrega contínua de nutrientes para a pena em desenvolvimento no folículo da pena e diminui a chance de marcas de traste, etc.

• No pombal. 
Os probióticos podem ajudar as aves a resistir à Salmonella.  Embora todos os pombos sejam suscetíveis à Salmonella, a doença clínica é vista com mais freqüência em raças elegantes do que em aves de corrida.  

Algumas raças são particularmente suscetíveis;  por exemplo, Modenas, Show Homers e raças que voam alto, especialmente Doneks. 

Como um surto é gerenciado depende da gravidade do problema. 

Foi demonstrado que os probióticos regulares ajudam as aves a resistir a doenças.

No mercado podemos encontrar diferentes marcas de probióticos como o “Promocalier”
“Probac” é um probiótico aviário de múltiplas cepas feito especificamente para pássaros.  

É a preparação probiótica que recomendamos.

Pode ser adicionado à água potável na proporção de uma colher de chá (3 g) por 4 litros de água potável, ou adicionado aos grãos (após umedecer primeiro com um óleo de semente, ½ a 1 ml por kg) à taxa de po colher de chá (1 g) a 1kg. uma garrafa de “Probac”

Nota sobre o uso de probióticos

Em algumas áreas metropolitanas, adicionar flúor ou cloro à água potável pode interferir na ação dos probióticos.  

Nas áreas metropolitanas, as estações de tratamento estão localizadas ao longo da rede de distribuição de água.  De acordo com as autoridades australianas, a concentração de flúor e cloro na maior parte da rede é muito baixa para ter efeito.  

No entanto, a concentração na água dos columbófilos perto de uma estação de tratamento pode ser alta o suficiente para matar os probióticos.

No entanto, essas substâncias irão evaporar da água tratada se for deixada em repouso por 24 horas.  Hobbyists em dúvida, é melhor deixar a água de lado para ser medicado com probióticos por 24 horas antes do uso. 

Basta colocar o volume de água necessário em vários baldes à espera de uso.

Alternativamente, a maioria das preparações probióticas solúveis em água podem ser adicionadas à semente. 

Na verdade, com algumas preparações, isso garante uma entrega mais imediata e eficaz dos probióticos ao trato digestivo.

O uso de probióticos está realmente na vanguarda da prática veterinária aviária. 

A tecnologia moderna envolvida na preparação de probióticos protege os probióticos contra ácidos estomacais, sais biliares e enzimas digestivas, razão pela qual um grande número de organismos vivos atinge o intestino após a ingestão para exercer seus vários efeitos benéficos.  

Curiosamente, as preparações de probióticos humanos estão sendo desenvolvidas para atacar infecções bacterianas específicas. 

Em humanos, uma bactéria, Bacillus cereus, causa gastroenterite.  

Essa infecção não é fatal, mas é responsável por muitos dias de trabalho perdidos anualmente na população.

Em vez de prescrever antibióticos, os pacientes recebem um “iogurte” probiótico específico que controla a infecção.  

De acordo com as empresas envolvidas, com essa tecnologia já implantada, organismos mais difíceis, como a E. coli, que têm grande número de cepas e sofrem mutações com mais facilidade, serão combatidos.  

Uma vez disponíveis, essas preparações serão benéficas e úteis para os criadores, pois significam que essas infecções podem ser tratadas sem o recurso a antibióticos redutores de forma.

Publicado em 2 comentários

Artigo: Precauções de troca dos ninhos (Para o desenvolvimento do Ovo)

É possível constatar em diversas ocasiões como alguns criadores, por motivos diversos, trocavam os ovos de um casal para outro.  É muito fácil fazer isso, mas devemos ter em mente que os dois pares estão em um ponto semelhante na incubação.  

Recomenda-se fazer a mudança sem incidentes, desde que nos movemos em intervalos de menos de 3 dias entre uma postura e outra.  

Se os filhotes nascerem prematuramente, os pais adotivos não terão leite de colheita suficiente, e os jovens verão seu desenvolvimento diminuído, até mesmo morrendo.  

Se eclodirem tarde demais, os pais adotivos podem abandonar os ovos, ou podem já ter passado pelo pico da produção de leite.

Para sincronizar os ritmos, muitos amadores removem os ovos dos pais originais e não os passam para os pais adotivos até que tenham posto os seus.  

Há muitas maneiras de fazer isso com sucesso, mas o que estamos prestes a relatar. Há alguns anos, alguns criadores relatam ter feito muitas mudanças de ovos, enquanto fazia a rotação das fêmeas para os machos reprodutores. Para isso ele tinha um grupo de “mães de leite”.  Tentou sincronizar o período de incubação do casal original com o da dupla adotiva, mas frequentemente não conseguia.  Isso resultou, na maioria dos casos, que os ovos foram retidos fora do ninho, esperando que uma das duplas pusesse os seus.

Os ovos podem ser facilmente mantidos viáveis ​​por 3 a 5 dias em temperatura ambiente antes do início da incubação, para serem colocados sob os pais adotivos no momento apropriado.  Quando mantidos neste estado suspenso, os ovos devem ser virados pelo menos duas a três vezes ao dia. 

Tem-se visto ovos férteis depois de ficar fora do ninho por até 10 dias, mas a taxa de sucesso diminui 3-5 dias após a remoção.  

Quando guardamos esses ovos na gaveta hidratante de uma geladeira, podemos aumentar substancialmente o tempo de espera.

Alguns criadores afirmam que as chances de sucesso aumentam se os ovos a serem mantidos à espera forem retirados do ninho após alguns dias de incubação.  Em casos de experimentos, obtiveram resultados muito ruins usando este método.  

O embrião em desenvolvimento é muito frágil neste momento, e uma simples vibração pode acabar com sua vida.  E, pela experiência, também é mais sensível ao frio.  Os ovos que não eclodiram tendem a se dar melhor quando mantidos fora do ninho.

O fato é não se afastar muito do que a Mãe Natureza faz.  

A “realidade” da natureza pode se ajustar para acomodar nossa manipulação das coisas.  

Lembre-se de que quanto mais o alongamos, ou quanto mais o manipulamos, menor a taxa de sucesso que podemos esperar.

Fonte: Pesquisas realizadas com criadores de pombos

Publicado em Deixe um comentário

Comunicado Oficial FCI sobre a fabricante de Anilhas – Haspeslagh – SAVIC Bélgica.

Prezados Srs. Associados, 

Repassamos as informações recebidas da Federação Columbófila Internacional – FCI, qual informa que a SAVIC Bélgica – Haspeslagh não produzirá mais anilhas Oficiais FCI.

Leia abaixo as informações nas versões inglês e português: 

Versão Original em Inglês: 

Dear Mister President,

The company SAVIC Belgium has informed us that they will NO longer produce FCI rings.

The production of the FCI rings has been taken over by the company GECA Belgium.

The GECA company has signed the FCI ring contract 2021-2022-2023.

The contact details of the company GECA can be found on the enclosed overview of the recognized FCI ring manufacturers.

We advise the federations that had a contract with Savic to contact GECA.

Yours sincerely

Versão Traduzida para o idioma Português Brasil: 

Caro senhor presidente,

A empresa SAVIC Belgium informou que NÃO produzirá mais anéis FCI.

A produção dos anéis FCI foi assumida pela empresa GECA Belgium.

A empresa GECA assinou o contrato de anel da FCI 2021-2022-2023.

Os detalhes de contato da empresa GECA podem ser encontrados na visão geral em anexo dos fabricantes de anéis FCI reconhecidos.

Aconselhamos as federações que têm contrato com a Savic a contactar o GECA.

Com os melhores cumprimentos.

Geert PHILIPS

General Secretary

Federação Columbófila Internacional 

Publicado em 2 comentários

Brasil participará do MIRA One Loft Race 2021 – Premiação € 55.000,00. Não fique de fora!

MIRA One Loft Race 2021 Uma das mais antigas, mais confiáveis, mais organizadas e prestigiadas Corridas de One Loft do Mundo.O Campeonato Internacional de Pombos de Corrida – MIRA 2021-organizado pela Federação Portuguesa como nos 23 anos, é motivo para o encontro, sucesso e local de encontro dos reprodutores.Com orgulho renovado, MIRA OLR 2021 está apto a reorganizar os Campeonatos Internacionais de Pombo (Grande Prémio FCI) e o Campeonato Europeu.

Temos o prazer de informar que a corrida final terá lugar no dia 16 de outubro de 2021 e a data da recepção dos pombos será entre os dias 1 de abril e 15 de junho de 2021.

Inscrições:

A taxa de inscrição é de € 100 por pombo;

Cada equipe consistirá num máximo de 12 pombos;

Para cada equipa de 5 pombos podem ser enviados 1 pombos extra gratuitamente;

Para cada equipa de 10 pombos podem ser enviados 2 pombos extra gratuitamente;

Todos os pombos inscritos no Grande Prémio FCI de Portugal concorrem a todos os prémios;

Todos os prêmios apresentados são valores líquidos;

Os primeiros 200 pombos na corrida final receberão prêmios;

Anexo encontra as regras do Grande Prémio FCI MIRA 2021 e informações adicionais podem ser encontradas em www.fpcolumbofilia.pt/Mira2021/

Para enviar pombos contate a Federação Columbófila Brasileira através do e-mail contato@fcb.org.br, estamos preparados para realizar toda a tramitação legal de exportação e enviar o seu atleta para mais esse mega evento.

Seja o próximo campeão – ′′ Criando campeões desde 1997 ′′

MIRA One Loft Race 2021 Uma das mais antigas, mais confiáveis, mais organizadas e prestigiadas Corridas de One Loft do Mundo.

Condições Gerais – Mira 2021

1. Quais as provas em disputa?

A Federação Portuguesa de Columbofilia organiza no mesmo dia as seguintes provas:

  • FCI Campeonato da Europa e da Europa de Jovens 
    Competição destinada à participação de selecções nacionais que representem países que integram a FCI.
     
  • Torneio Ibero Latino Americano – AILAC
    Competição destinada à participação de selecções nacionais que representem países que integram a Associação Ibero Latino Americana de Columbofilia.
     
  • FCI Grand Prix de Portugal 
    Competição destinada à participação individual para columbófilos inscritos em Federações que integrem a FCI.
     
  • Liga Nacional dos Campeões
    Competição destinada à participação dos Campeões Gerais das Colectividades Portuguesas da Campanha Desportiva de 2019.
     
  • Campeonato Nacional de Jovens
    Competição destinada unicamente à participação de jovens columbófilos portugueses, idade até aos 25 anos e com licença desportiva activa para o ano de 2021.
     

2. Qual o período de recepção dos pombos?

Os borrachos deverão ser enviados entre 1 de Abril a 15 de Junho de 2021.

3. Qual a idade dos pombos à data de envio?

No momento do envio dos borrachos a idade não deverá ser inferior a 40 dias nem superior a 60 dias.

4. Os pombos deverão ser previamente vacinados?

Os pombos devem ser vacinados 21 dias após o seu nascimento, para que possam ser revacinados, aquando da sua entrega ao columbódromo. Os participantes deverão especificar a data da vacinação e a vacina utilizada (entre as homologadas em Portugal).

5. Como Enviar os pombos ?

a) Poderá entregar os pombos directamente no Columbódromo Internacional Gaspar vila Nova. Nesse caso deve fazer um contacto prévio com o tratador do Columbódromo de Mira, Sr. António, através do seguinte número +351 916 461 474.

Nota: Na deslocação ao Columbódromo, cumpra as indicações da Direcção-Geral de Saúde (DGS), nomeadamente no que respeita ao uso de máscara facial e à prática de distanciamento social e etiqueta respiratória.

b) Pode utilizar uma das seguintes empresas de transporte rodoviário:→ GPLoft – Empresa de Transporte de Pombos 
    Email: info@gploft.com
    Telm: 919 031 388 (Sónia) / 919 041 145 (Paulo Mota) / 914 604 382 (António Realinho)

Ou

→ Central Mensageiro – Serviço de Estafetas
    Email: pet@centralmensageiro.pt 
    Telm: 914 282 364 (João). Ao ligar ao Sr. João, deverá informar que os pombos se destinam ao derby de Mira e ao cuidado do Sr. António com o nº telm. 916 461 474

Destinatário:

Federação Portuguesa de Columbofilia
Mira Center, Rua do Matadouro, 2º andar, salas 208-210
Valeirinha
3070-436 Mira – Portugal
Contacto: Telefone +351 231 247 029 / Email geral@fpcolumbofilia.pt; Telemóvel: +351 916 461 474 (tratador Columbódromo, Sr. António).

No caso de envio de pombos a partir do estrangeiro:

Se pretender enviar os pombos por avião, por favor siga os seguintes passos: 

a) Enviar, por e-mail (geral@fpcolumbofilia.pt), a AIR WAYBILL (AWB), uma lista com a identificação de todos os pombos, uma cópia do certificado sanitário, uma fatura com a nota “Sem valor comercial” e uma declaração de doação à Federação Portuguesa de Columbofilia. 

Importante: Envie os documentos originais com a carga (pombos) 

b) Envie os pombos para o seguinte destino:
Federação Portuguesa de Columbofilia
Aeroporto Humberto Delgado – Lisboa, Portugal 

Nota: Os pombos não devem chegar no decurso dos fins de semana porque a alfândega está fechada nestes dias. 

6. Quais os documentos a enviar com os pombos?

Com os pombos devem ser entregues os seguintes documentos:

  • Pedigrees + Títulos de propriedade.
  • Declaração de vacinação contra a Doença de Newcastle (com indicação da vacina utilizada e o dia da sua administração).

7. Diversos

  • Todos os pombos serão anilhados com anilhas electrónicas
      
  • A FPC manterá informação permanentemente actualizada em www.fpcolumbofilia.pt
     
  • Todos os pombos participantes após a sua entrega no columbódromo passam a ser propriedade da FPC, competindo à mesma decidir o seu fim.
     
  • As datas dos treinos, da prova final, bem como, as respectivas distâncias, poderão ser alteradas de acordo com as condições climatéricas ou outras circunstâncias de força maior.
     
  • A organização não assume qualquer responsabilidade em caso de perda de pombos, acidente ou doença que impeça a sua participação nos treinos ou prova final. Não haverá lugar à devolução das taxas de inscrição.
      
  • Em caso de acidente ou morte de algum pombo durante o período de adução, os proprietários serão notificados pela organização para eventual substituição, sem custos extras, até ao dia 30 de Junho. 

NOTAS IMPORTANTES:

  • O proprietário dos pombos que não tenha enviado, até à prova final, título de propriedade e/ou o pedigree ou cujo pedigree não identifique correctamente a origem dos pombos será penalizado em 50% do valor dos prémios ganhos nas diversas competições onde participe e não terá direito à eventual comparticipação no valor da venda dos seus pombos em leilão. 
     
  • Solicitamos a todos os participantes o número de telemóvel no ato da inscrição, para que possamos enviar, via SMS, informações relevantes sobre a evolução dos seus pombos na competição.
Publicado em 23 comentários

Nota de Falecimento

A Diretoria da Federação Columbófila Brasileira informa, com muito pesar, o falecimento do Senhor José de Oliveira Jordão Neto, pai do nosso Tesoureiro Geral, Senhor José de Oliveira Jordão. Ele nos deixou na data de hoje, às 11:20 horas. 

Lamentamos profundamente e desejamos o consolo de Nosso Senhor Jesus Cristo a todos familiares e amigos. É um momento muito duro e não temos palavras suficientes para elucidar tamanha perda. Que Deus conforte os corações de todos.


“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações.” 2 Coríntios 1: 3-4

Publicado em 4 comentários

Recomendação Coronavírus – COVID-19

Coronavirus – COVID-19

A Diretoria da Federação Columbófila Brasileira vem pelo presente comunicado externar sua preocupação com o recrudescimento dos casos de contaminação pelo coronavírus (COVID-19) e, considerando as novas regras dos Planos dos Governos Estaduais que determinam o endurecimento das restrições em várias regiões do país, reiterar a recomendação para que sejam respeitadas as normas sanitárias de higiene, restrição de concentração e contato fisico entre pessoas, indispensáveis à proteção da saúde de todos e fundamental para o combate à proliferação do vírus. 

Proteja a sua vida e a dos outros, seja responsável!

A Diretoria 

Publicado em 8 comentários

POMBO ÀS NACIONAL 2020 – 1ª Chamada – Classificação Provisória – Versão 6

LEIA COM ATENÇÃO!

Categorias que sofreram alterações nessa publicação – Categorias C e E.

Por determinação do Chaiman FCI Sport Commitee em análises dos resultados enviados – World Best PIGEON 2020, foi solicitado a realização de esclarecimentos por parte dessa Entidade Federativa a respeito do pombo 7031675/2017 – José Luiz Almeida, por esta razão fez-se novas apurações e foram alteradas as Categorias C e E.

A documentação está sendo enviada à Federação Columbófila Internacional em 01/02/2021 para análises do Comitê de Esportes.

Após a conferência e análises dos documentos pela FCI e demais documentos recebidos pela FCB, estaremos divulgando a 2ª chamada das Categorias do Pombo Às Nacional Brasil.

————————————————————————————————————————————————————-

Alguns Clubes não foram considerados na Apuração do Pombo Às Nacional na 1ª e 2ª divulgação dos resultados. O fornecedor da FCB fez as alterações necessárias incluindo os clubes faltantes (confira abaixo a relação).

Os Resultados por Categoria encontram-se em formato PDF de todos os clubes que cumpriram as determinações de envio dos arquivos.

Em sendo constatado alguma inconsistência nas informações, procure imediatamente fazer contato com a FCB relatando o ocorrido, devendo ser observado o contido no Regulamento.

————————————————————————————————————————————————————–

A fórmula de cálculo é a seguinte:
– O pombo só pontua para o Pombo Às se ficar nos 25% dos embarcados. Há clubes que calculam com 20, 25, 30, 100%  Mas isso é ignorado e o aplicativo usa sempre 25%.
– Sabendo o lugar que o pombo obteve na prova e o número de embarcados, ele ganha um Coeficiente nessa prova com a fórmula
Coeficiente do pombo na prova = Lugar x 1000 dividido pela quantidade embarcada                                                
 Somam-se depois os melhores 4 coeficientes obtidos, entre todas as provas que o pombo participou, dessa categoria.

————————————————————————————————————————————————————-

POMBO ÀS NACIONAL 2020 – 1ª Chamada – Classificação Provisória – Entrega de Documentos até 30/01/2021 

Uma realização da Federação Columbófila Brasileira – FCB,  Federação Columbófila Internacional – FCI e Associação Ibero Latino Americana de Columbofilia – AILAC

De acordo como Regulamento disponibilizado a todos os participantes do POMBO ÀS NACIONAL 2020 nos termos do artigo 6º, letra “d”, ficam convocamos a todos os 03 (três) primeiros colocados de cada categoria (ver arquivo em PDF abaixo anexado por categoria), os quais deverão solicitar à Diretoria de suas Associações e/ou Clubes, as listas de inscrição, as listas de constatação de todos os participantes das provas que determinaram sua classificação, devendo estar corretamente preenchidas com todas as informações e assinadas pelas Diretoria da Associação e/ou Clube, que deverão ser entregues no  (FORMATO PDF) através do endereço eletrônico clique aqui ou envie por Correios para José de Oliveira Jordão – Av. Meira Júnior, nº 1418 – Jd Mosteiro – CEP 14090-341 – Ribeirão Preto/SP, até 30/01/2021 dos resultados para verificação das informações prestadas anteriormente, devendo ser observado as seguintes exigências contidas no artigo 6º, alínea “e” e Incisos, a seguir: 

e) Para que seja possível garantir e controlar os resultados destes campeonatos a FCB exige o envio de todos os documentos de controle:

I – Informar o nome da cidade da prova;

II – Informar a quilometragem do percurso;

III – Nome do sócio/columbófilo no cabeçalho da folha de embarque;

IV – Data de embarque correta;

V – Data de abertura;

VI – Todas as informações devem ser legíveis, sob pena de desclassificação; 

VII – Anexar o resultado de classificação da prova junto com a ficha de embarque e de constatação; 

VIII – Enviar cópia de todos os documentos para conferência, somente as Associações e/ou Clubes classificados para o pombo Às Nacional, devendo ser observado as seguintes exigências:

IX – Quando convocado para a primeira chamada;

X – Em não respeitando o prazo estipulado a Federação Columbófila Brasileira realizará a segunda chamada determinando o prazo para envio dos documentos conforme instruções, em não havendo atendimento, passa- se então para a terceira chamada e assim sucessivamente.

XI – Findo o prazo sem que sejam entregues os documentos supra citados os columbófilos infratores deste item serão desclassificados sumariamente.

XII – Sempre deverá a Associação e/ou Clube observar que todos os documentos (Embarque e Prova) sejam entregues na ordem de quilometragem, com suas respectivas folhas numeradas em ordem para fácil conferência.

————————————————————————————————————————————————————–

Recomendamos a todos os sócios classificados da obrigatoriedade da realização do Cadastro clique aqui

Os clubes que enviaram seus arquivos dentro do prazo e não constam nas relações os nomes dos seus sócios, solicitamos seja enviado e-mail para o Sr. Antonio Realinho – GPC (geral@sistemagp.com), a fim de que o mesmo inclua os arquivos na apuração geral.

*Os arquivos anexados abaixo (VERSÃO 5) em anexo, não são definitivos mas sim de caráter provisório podendo sofrer alterações.

Categorias que sofreram alterações nessa publicação – Categorias C e E.

A Diretoria 

Relação dos Clubes Participantes

FEDERAÇÃO PAULISTA DE COLUMBOFILIA – FPC – Campeonatos Paulista e Paulistano

CCP CORREIO R.PRETO

CLUBE SERGIPANO DE COLUMBOFILIA    

UNIÃO COLUMBOFILA CAMPOS DOS GOYTACAZES 

ASSOCIACÃO COLUMBOFILA FRANCISCO SÁ     

SOCIEDADE COLUMBOFILA ITAUNENSE    

SOCIEDADE COLUMBÓFILA DE DIVINÓPOLIS    

CLUBE COLUMBOFILO PALOMAS DO NORTE  

CLUBE SERGIPANO DE COLUMBOFILIA    

ASSOCIAÇÃO COLUMBOFILA DA SERRA  

SOCIEDADE COLUMB. INDEPEND. ANAPOLIS  

ASSOC.GOIANA C POMBOS CORRIDA        

COPA FUNDO AGCPC

CLUBE SERGIPANO POMBOS CORRIDA

A.C. INDEPENDENTES CEARÁ    

COPA FUNDO 

S.C. CONTINENTE

S.C. CONTINENTE-FILHOTES

A.C. SALVADOR

S.C. PETALAS DE OURO

CLUBE COLUMBOFILO AMIGOS UBERLÂNDIA

CCA UBERLÂNDIA-FILHOTES

SOCIEDADE COLUMBOFILA OESTE DE MINAS

SOCIEDADE COLUMBOFILA DE MONTES CLAROS

C.C. BRASILIA

Categorias que sofreram alterações nessa publicação – Categorias C e E.

Publicado em 4 comentários

Anilhas Oficiais FCB-BR / FCI – 2018 e 2019 – Homologadas e Revalidadas pela FCB – Campanha promocional por tempo determinado

Atendendo a inúmeros pedidos dos Sócios e devido ao grande sucesso de vendas das Anilhas Oficiais 2021, informamos a todos os Sócios dos Clubes Homologados que, a partir de 28/01/2021, às 0:00 hrs, estarão disponíveis em nosso site para vendas, as Anilhas Oficiais FCB-BR/FCI 2018 e 2019, as quais se encontram revalidadas e homologadas pela FCB e válidas para a temporada 2021. 

As Anilhas foram importadas da Bélgica da fabricante Savic NV – Belgium  – Haspeslagh, as quais são reconhecidas pela Federação Columbófila Internacional – FCI e são de excelente qualidade e padrão internacional.  

As compras poderá ser efetuada somente através dos Clubes oficialmente homologado. 

Preços para Compra:  – Anilhas FCB-BR / FCI 2018  e 2019  – Valor  R$0,75 a unidade  + despesas de Correios

Sugestão de valores a serem praticados pelos Clubes aos Sócios em dia com suas obrigações: R$0,85 devendo ser acrescentado apenas as despesas de Correios.

Esta promoção entrará em vigor às 0:00 hora (zero hora) do dia 28/01/2021 e será válida até o dia 10/04/2021 ou até o término de estoque.

Utilize somente as Anilhas Oficiais homologadas pela sua Entidade Federativa reconhecidas pela Federação Columbófila Internacional – FCI aqui no Brasil e em qualquer lugar do Mundo. 

Valorize seu atleta e fortaleça o desporto nacional. 

FCB sempre pensando em você!

Assessoria de Comunicação

Publicado em 2 comentários

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO 2021

CIRCULAR 01/2021 

VACINAÇÃO 2021

A nova realidade da Columbofilia brasileira, diante do seu crescimento nos obriga a criar estratégias preventivas contra alguns possíveis problemas que dizima quantidade de pombais.

A Doença de New Castle uma enfermidade,  causada por um vírus resistente em meio externo e de fácil disseminação.

A disseminação desta doença (New Castle)  se dá principalmente na temporada de soltas, onde são reunidos em caminhões transporte, pombos de diversos criadores e que pombos extraviados são acolhidos em pombais alheios.

Temos no mercado e a baixo custo, a Vacina para New Castle,”La Sota”, que tem se mostrado eficaz em todos os pombais que a aplicaram seguindo corretamente as recomendações do fabricante.

Esta vacina (New Castle) pode apresentar falhas por aplicação inadequada e que para diminuí-las, vacinações repetidas são necessárias.

A vacina (New Castle) que é preventiva, e deve ser aplicada em pombos sadios, tem sido frequentemente confundida com tratamento e aplicada quando a doença está em período de incubação ou já instalada, o que pode agravar os sintomas; sendo motivo de resistência de muitos columbófilos à vacinação.

A Bouba ou Varíola Aviária, provocada por um Poxvírus é endêmica em nosso país e que anualmente é disseminada pelo contato entre os pombos nos caminhões transporte, causando perdas inexplicáveis de pombos,  mortes desnecessárias, chegando a invalidar todo um pombal para a competição quando se manifesta.

Temos no mercado e a baixo custo a Vacina contra Bouba Aviária Vírus Pombo, que tem se mostrado eficaz.

A Salmonelose (Mal de Asa) é provocada pela Salmonela Typhimurium, uma bactéria disseminada por fezes, urina e secreções de pombos portadores sãos, além de ratos e outras aves, com surtos em períodos nos quais os pombos estão mais vulneráveis, principalmente na “Grande Muda”.

A PARAMIXOVIROSE é uma doença terrível provocada por um PMV-1 vírus. A referida virose tem impactos nervosos (torcicolo) e renais (poliúria) que não surgem obrigatoriamente juntos. Nos últimos anos há́ inúmeros casos nos quais a doença só se declara por um tremor discreto ou por uma ligeira diarreia cronica. Nesse caso, em especial, estamos buscando meio de realizar a importação direta pela FCB através do Laboratório Pfizer para distribuição aos associados FCB. 

A vacinação de todo plantel é o único meio para prevenir eficazmente doenças.

1. DA RECOMENDAÇÃO: A vacinação decorre obrigatoriamente de diretivas emanadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA e recomendada pela Federação Columbófila Brasileira. 

2. PROTEÇÃO EFETIVA DOS PLANTÉIS: Vacinar é a única forma segura de proteger os pombos voadores e reprodutores que constituem a reserva genética das colônias.

A) UTILIZE UNICAMENTE VACINAS HOMOLOGADAS PELA ANVISA: Segundo informação da ANVISA, está homologada a seguinte vacina:

  • Newcastle – “La Sota” 

– A vacinação contra a Newcastle deve se iniciar o anilhamento dos filhotes no ninho.

– Cada filhote a ser anilhado já deve receber a 1° dose da vacina contra a Newcastle.

– Deve dar uma gota no bico de cada filhote.

– A 2° dose da vacina deve ser com 21 dias de vida dos filhotes.

Nesta fase deve ser dada 2 gotas no bico de cada filhote.

A 3° dose deve ser dada com 35 dias após o desmame e separado dos pais.

  • Existe essa necessidade das 3 doses devido a falha vacinal que possa ocorrer, pois como sabemos a New-Vacin (Lá Sota)  fabricada no Brasil é específica pra frangos.

Como diluir a vacina: Um frasco de 100 doses deve ser diluído em 4 ml de água destilada (comprar em farmácias). Usar um conta gotas para pingar dentro do bico dos pombos.

  • IMPORTANTE: Desde o momento da compra da vacina até sua diluição e durante a vacinação deve ser sempre conservada no gelo.
  • Recomendamos fazer o tratamento de todas as colônias com o antibiótico Enrofloxacina a 10% logo após o término da temporada de soltas, com o  objetivo de tentar diminuir a manifestação desta doença bacteriana.

A UTILIZAÇÃO DESTAS VACINAS RESULTA DE UM IMPERATIVO LEGAL!

A EVENTUAL UTILIZAÇÃO DE OUTRAS VACINAS É UM ATO QUE CONTRARIA AS DISPOSIÇÕES LEGAIS EM VIGOR. 

B) UTILIZE VACINAS BEM CONSERVADAS: Deve assegurar-se de que a cadeia de frio nunca seja interrompida.

C) VACINE APENAS POMBOS SAUDÁVEIS: Antes de vacinar, submeta os pombos a um rasteio sanitário ou então faça, de modo empírico, alguns tratamentos básicos contra eventuais parasitoses e contra eventuais infecções bacterianas.

D) VITAMINAS:  Estimule as aves a desenvolverem uma boa e rápida imunidade, vitaminando-as alguns dias antes e após a vacinação.

COMO VACINAR:

1. No momento da utilização, a vacina deve estar à temperatura ambiente;

2. Injectar de maneira subcutânea na parte posterior do pescoço, apontando a agulha na direção caudal, conforme esquema da figura:

Uma imagem contendo traçado, crustáceo, animal

Descrição gerada automaticamente

3. Não desinfectar a pele do pombo;

4. Utilizar agulhas descartáveis mudando frequentemente de agulha;

5. Não usar agulhas demasiadamente grossas nem demasiadamente finas.

CONTROLE DA VACINAÇÃO:

1. A vacinação confere uma imunização estável após 2 a 3 semanas.

A duração da imunidade é de 12 meses.

2. Para a época desportiva de 2021 só serão aceitos como comprovativos da vacinação:

– A fatura/recibo de aquisição emitida em nome do columbófilo, discriminando a marca da vacina, número de doses e validade ou,

– A declaração do médico veterinário junto com uma lista dos pombos vacinados, devidamente carimbada e assinada.

3. No caso em que dois columbófilos da mesma sociedade se associam na compra da vacina a fatura deve ser emitida em nome de um deles, devendo juntar a respectiva fatura às listas de vacinação dos columbófilos envolvidos, previamente ao envio dos comprovativos à FCB.

4. No caso em que seja exigida aos columbófilos prescrição médica-veterinária para a aquisição da vacina o veterinário oficial da FCB estará disponível para emitir as respetivas prescrições.

5. Sempre que se justifique um contato direto com o veterinário oficial da FCB poderão utilizar o seguinte endereço de e-mail: contato@fcb.org.br.  

LISTAS DE VACINAÇÃO: As listas de vacinação serão divulgadas no site da FCB aberta ao público em geral e aos Órgãos de Fiscalização.  

COMO OBTER AS LISTAS DE VACINAÇÃO? No site da FCB o Clube e/ou Associação poderá obter a lista de vacinação de cada sócio através do endereço www.fcb.org.br -> VACINAS

O QUE CONSTA NA LISTA DE VACINAÇÃO? Na lista deverá constar a identificação do associado (nome e CPF), a vacina utilizada, o lote e os pombos recenseados e vacinados para a campanha desportiva 2021.

QUANDO DEVE SER RETIRADA A LISTAGEM DEFINITIVA DE VACINAÇÃO? A lista definitiva de vacinação deve ser impressa após a disponibilização do recenseamento no site da FCB. 

FISCALIZAÇÃO POR ÓRGÃOS COMPETENTES E FCB:  O certificado de Pombal será emitido pela FCB após a conferência da listagem de vacinação e de forma individualizada para cada sócio. Não será mais emitido Certificados de Pombal aleatório sem antes efetuar a conferência dos documentos obrigatórios exigidos. 

Tabela

Descrição gerada automaticamente

São José do Rio Preto/SP, 11 de Janeiro de 2021.

Departamento Técnico FCB

Publicado em 4 comentários

Sistema de Apuração GPC 2021

A Federação Columbófila Brasileira disponibiliza a todos os Clubes e Associações o Sistema de Apuração GPC-2021 no período de 11/01/2021 até 11/02/2021.

Para solicitar o link de instalação para posterior liberação do Programa de Apuração GPC/2021 deverá enviar e-mail para contato@fcb.org.br informando:

1) Nome completo do Clube:

2) Número de sócios:

3) Se fez pedido de liberação e uso do programa em 2020:

4) Número de máquinas:

5) Rescenceamento 2021 de cada sócio referente ao seu plantel, sem omissões, rasuras ou qualquer outro defeito gráfico que impossibilite a leitura clara do número da anilha, ano e sexo da ave, nos termos do artigo 11, Inciso II do Estatuto Social.

Informamos que as liberações serão efetuadas mediante análises da Diretoria da FCB e de forma gratuita aos Clubes/Associações homologados e regularmente em dia com suas obrigações devendo enviar novamente os documentos exigidos para renovação e homologação referente ao Ano exercício 2021, nos termos do artigo 8º, parágrafo segundo, letras a, e b, do Estatuto Social.

Dr. Cláudio Manoel Molina Boriola

Presidente

Roberto Carlos de Souza

Secretário Geral

LINK DE INSTALAÇÃO GPC 2021Clique aqui